USOS, SIGNIFICADOS E CONCEPÇÕES: EM FOCO PRÁTICAS DE LEITURA

Jailze de Oliveira Santos

Resumo


O presente trabalho traz um recorte de uma pesquisa mais ampla, que tem como objetivo compreender as práticas de letramento desenvolvidas em um espaço de educação não-formal, detidamente na Associação de Apoio à Criança e ao Adolescente (AACA). Compreendemos que o caráter sócio-interacionista da língua pode encontrar na educação não-formal um lugar propício para este aprendizado. A participação efetiva e politizada dos educadores destas instituições contribui para formar cidadãos que tenham condições de se manifestar socialmente, pois o mundo exige indivíduos capazes de utilizar uma multiplicidade de habilidades de habilidades de leitura e escrita, para que se possa transitar em todas as práticas sociais em que o código escrito é o elemento preponderante da interação. Ao privilegiar as dimensões do letramento como viés para oportunizar uma maior inserção sócio-cultural, este estudo pretende elucidar as seguintes questões: Quais concepções de leitura subjazem à prática educacional dos formadores da AACA? Que objetivos estipulam para o ensino da leitura? Para tanto, utilizou-se como arcabouço teórico os estudos de kleiman (2002), Soares (2004), Terzi (2002), Street (1993), entre outros. Por se tratar de uma pesquisa qualitativa, optamos por realizarmos observações e aplicarmos entrevistas com todos os educadores da instituição. O estudo demonstra que estas práticas estão alicerçadas em uma concepção a leitura que amplia as experiências de letramento dos aprendizes e procuram desarmar as armadilhas da exclusão a que eles estão submetidos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.