TUTOR É PROFESSOR: A PROLETARIZAÇÃO DO EDUCADOR NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Ricardo Max Lima Cavalcante

Resumo


O presente artigo busca reunir em uma única discussão dois temas muito discutidos na Educação: A proletarização ou precarização da profissão docente e a educação a distância, dando ênfase ao papel do (professor-)tutor da EAD e defender a tese que este profissional, mesmo nas suas atuais condições de trabalho deve ser considerado professor e questionar sobre estas condições que o colocam como um “bolsista” ao invés de um profissional que merece os mesmos direitos dos outros profissionais docentes, estas más de condições de trabalho são frutos do neoliberalismo e da atomização profissional do modelo taylorista de produção. Será utilizando uma abordagem crítica (filosófico-pedagógica) sobre o assunto para desmistificar a falsa ligação “necessária” presente no discurso do progressismo da técnica no qual afirma que o avanço tecnológico somado à educação trará somente consequências positivas para os (as) docentes e os (as) estudantes. Todavia, este avanço tecnológico será convertido somente em lucro para os donos dos meios tecnológicos das novas “empresas educacionais”, assim como acontece na indústria. Além da tese do tutor enquanto professor, também será defendida no decorrer do texto a tese de que a educação não deve servir aos interesses do Capital, isto é, uma ferramenta que visa o lucro, ao invés de buscar a emancipação humana.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.