A Pesquisa como Princípio Educativo no Currículo Integrado

Roberta Pasqualli, Angela Silva, Vitor Gomes da Silva

Resumo


Com o objetivo de alargar o debate acerca da pesquisa com princípio educativo este artigo apresenta discussões e reflexões sobre uma experiência de materialização do currículo integrado na educação profissional e tecnológica. Constituído por uma abordagem qualitativa, foi produzido envolvendo autores como: Araújo e Frigotto (2018), Ramos (2018), Machado (2010) entre outros. Observou-se que a  pesquisa com princípio educativo permite a construção da autonomia e  emancipação dos estudantes. A partir de uma problemática inicial, os estudantes conseguem identificar outros desdobramentos, buscando respostas, revisitando e incorporando conceitos, questionando e superando o senso comum, num movimento dialético, produzindo e legitimando o produto deste movimento: um novo saber.


Palavras-chave


Currículo Integrado; Pesquisa como Princípio Educativo; Educação Profissional e Tecnológica

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Ronaldo Marcos de Lima Araujo, FRIGOTTO, Gaudêncio. Práticas pedagógicas e ensino integrado. Revista Educação em Questão, Natal, v. 52, n. 38, p. 61-80, maio/ago. 2015. Disponível em: . Acesso em: 04 Set. 2018.

BRASIL. Decreto nº 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamenta o parágrafo 2º do art. 36 e os art. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 18 abr, 1997.

BRASIL. Decreto n. 5.154 de 23 de julho de 2004. Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jul. 2004.

BRASIL. Ministério da Educação (MEC). Portaria nº 646, de 14 de maio de 1997. Regulamenta a implantação do disposto nos artigos 39 a 42 da Lei Federal nº 9.394, de 1996 e no Decreto Federal nº 2.208, de 1997 e dá outras providências (trata da rede federal de educação tecnológica). Diário Oficial da União. Brasília, DF: MEC, 1997.

BRASIL. MEC/SETEC. CNE/CEB. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio, 2012.

BRASIL Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, 2013.

BRASIL. Portal da Rede de Educação Profissional e Tecnológica. Expansão da Rede Federal. Disponível em: . Acesso em: 22 Ago. 2018.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Ciência e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Brasília, Diário Oficial da União. Brasília, DF: MEC, 2008.

CABRAL, I. E. O método criativo e sensível: alternativa de pesquisa na enfermagem. In: GAUTHIER, J. H. M. et al. Pesquisa em enfermagem: novas metodologias aplicadas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo, SP: Editora Paz e Terra, 1996.

GBB. Grupo Gay da Bahia. Disponível em: . Acesso em: 06 jun 2018.

KUENZER, A. Zeneida (Org) Ensino Médio, construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. São Paulo: Cortez, 2009.

MACHADO, L. R. S. Ensino médio e técnico com currículos integrados: propostas de ação didática para uma relação não fantasiosa. In: MOLL, J. (Org.). Educação profissional e tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.

MARX, Karl. O capital. Vol. I. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

NETO, Samuel de Souza. Corpo, cultura e sociedade . In: NETO, Samuel de Souza. Corpo para malhar ou corpo para comunicar? São Paulo: Cidade Nova, 1996, p. 09-37.

OLIVEIRA, Maria Auxiliadora Monteiro; PÁDUA, Isabel Campos Araújo. A reforma da educação profissional: avanço ou retrocesso? In: Anais do III Encontro ANPAE/ES. Vitória. Espírito Santo: ANPAE, 2000.

PACHECO, José Augusto. Estudos curriculares: desafios teóricos e metodológicos. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, v. 21, n. 80, p. 449-472, 2013.

RAMOS, Marise. Concepção do Ensino Médio Integrado. 2008. Disponível em: . Acesso em: 05 jun 2018.

SILVA, Adriano Larentes da; PASQUALLI, Roberta; SILVA, Vosnei da. Limites e Potencialidades de Materialização do Currículo Integrado: Uma Análise dos Planos de Ensino e Diários de Classe. Chapecó, SC, 2018. No Prelo.

SOUZA, Eda C. L; CASTIONI, Remi (Org). Institutos Federais: os desafios da institucionalização. Brasília: Universidade de Brasília, 2012

SOUZA, N. S.; NEVES, E. T.; BORBA, R. I. H. Cuidados familiares à criança com asma: estudo descritivo. Online braz j nurs, v.12, p.659-61, 2013.

TORRES SANTOMÉ J. Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Artmed, 1998

VASCONCELLOS, Celso dos S. Metodologia Dialética em Sala de Aula. In: Revista de Educação AEC. Brasília: abril de 1992 (n. 83).

VELOSO, Marcelo Parreira. Visita Técnica – Uma investigação acadêmica (estudo e prática de Turismo) Goiania. Kelps, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p509-522

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

. Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

. European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

. Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library.

 

               

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.