A formação doutoral e atuação profissional do professor formador da licenciatura em matemática na Amazônia

Alailson Silva de Lira, Francisca Janice dos Santos Fortaleza, Maria Lúcia Pessoa Chaves Rocha

Resumo


Este artigo objetiva discutir as práticas doutorais em universidades da Amazônia brasileira que são viabilizadas ou aprimoradas pela formação doutoral. Trata-se de uma pesquisa qualitativa cujos dados empíricos foram discutidos tendo em vista a análise do conteúdo. Os resultados indicam que as práticas doutorais do professor formador da licenciatura em matemática na Amazônia brasileira incluem a preocupação com o ensino a partir de lentes teóricas e a compreensão de a pesquisa e a extensão como ferramentas de ensino na graduação. Tais compreensões são atribuídas por eles à obtenção do título de doutor. Portanto, a formação doutoral do professor formador se faz notar como de grande relevância para a qualificação da formação de futuros professores de matemática da Amazônia brasileira. 


Texto completo:

PDF

Referências


ANDES, Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior, DF: Brasília,2013; Disponível em: . Acesso em 15 nov.2018;

BARBATO, Christiane Novo; MARTINHO, Maria Helena. A identidade profissional de um formador de professores de matemática. Revista de Estudios e Investigación em Psicología y Educación, v. extr., n. 6, 2015. Disponível em: . Acesso em 02 nov. 2018;

BARDIN, Laurence. Análise do conteúdo. Tradução de Luís Antonio Reto, Augusto pinheiro. 1. ed. 3. reimp. São Paul: Edições 70, 2016.

BRASIL, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Avaliação Quadrienal 2017. 2017. Disponível em . Acesso em 02 nov. 2018.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal.

BRASIL. Institudo Brasileiro de Geografia e Estatística. Áreas espaciais. Disponível em: . Acesso em: 07 jan. 2018.

BELO, Edileusa do Socorro Valente; GONÇALVES, Tadeu Oliver. A identidade profissional do professor formador de professores de matemática. Educ. Matem. Pesq., São Paulo, v.14, n.2, 2012. Disponível em: . Acesso em 28 ago. 2018.

DURO, Mariana Lima; MOLON, Jaqueline. A formação do professor que ensina matemática e a necessária indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE ENSINO DA MATEMÁTICA, 7, Canoas, 2017. Anais eletrônicos... Canoas: ULBRA Disponível em: . Acesso em 02 nov. 2018.

EMILIO, Thaise, et al. Formação e fixação de recursos humanos na Amazônia. In: Emilio, T.; Luizão, F. Cenários para a Amazônia: clima, biodiversidade e uso da terra. Manaus: Editora INPA, 2014.

FIORENTINI, Dario. A Pesquisa e as Práticas de Formação de Professores de Matemática em face das Políticas Públicas no Brasil. Bolema, Rio Claro (SP), Ano 21, nº 29, 2008. Disponível em: . Acesso em 02 nov.2018.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos da metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Alas, 2003.

LEDOUX, Maria Lídia Paula. Saberes Docentes como mediadores Didáticos e Conceituais na Formação Inicial de Professores de Matemática. 2016. 187 p. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática (REAMEC), 2016.

MANCHUR, Josiane; SURIANI, Ana Lucia Affonso; CUNHA, Márcia Cristina da. A contribuição de projetos de extensão na formação profissional de graduandos de licenciaturas. Revista Conexão (UEPG), v. 9, n. 2, 2013. Disponível em: . Acesso em 02 nov.2018.

MATOS, Maria da Conceição Gemaque de; GONÇALVES, Terezinha Valim Oliver Egressos dos programas de pós-graduação em ciências e matemática na Amazônia Legal: novos papéis assumidos. IN: NARDI, Roberto; GONÇALVES, Terezinha Valim Oliver. (Org). Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática no Brasil: memórias, programas e consolidação da pesquisa na área. São Paulo – SP: Editora Livraria da Física, 2014, pp. 351-393.

MOITA, Filomena Maria Gonçalves da Silva Cordeiro; ANDRADE, Fernando Cézar Bezerra de. Ensino-pesquisa-extensão: um exercício de indissociabilidade na pós-graduação. Revista Brasileira de Educação, v.14, nº 41,2009. Disponível em: . Acesso em 17 de nov. 2018

OLIVEIRA, Maria Marly de. Como fazer pesquisa qualitativa. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

PIAGET, J. Para Onde Vai a Educação? José Olympio Editora: Rio de Janeiro: Editora José Olympio, 1984.

PRODANOV, Cleber Cristiano; Freitas, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: FEEVALE, 2013

RODRIGUES, Ronaldo de Oliveira. Pós-graduação na Amazônia: o desafio de formar (em) redes. Revista Brasileira de pós-graduação, v.11 nº23,2014. Disponível em: . Acesso em 17 de nov. 2018

ROSÁRIO, Cyntia Lopes do; ARAÚJO, Klayton Oliveira de; FERREIRA, Nataly Nunes; MESQUITA, Stephanie Caroline da Rocha e SANTOS, Raimunda Maria Rodrigues. Indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão universitária: experiências nos cursos de licenciatura do Instituto Federal de Roraima. In: SIMPÓSIO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO E TECNOLOGIA, 10, 2013. Gestão e Tecnologia para a Competitividade. Disponível em: . Acesso em 02 nov. 2018.

SANTOS, Marcos Pereira dos. Ensino, pesquisa e extensão na universidade brasileira contemporânea: elucidações conceituais e articulações na prática educacional. nº 01, Abril – Setembro. Rio de Janeiro: Revista Científica do Instituto Ideia, 2016. Disponível em: . Acesso em 25 de outubro de 2018.

SETTI, Betine Diehl; RIZZON, Eliamar Ceresoli; BETENCOURT, Maria de Fátima Baptista; RICO, Rosa Maria Tagliari e MARASINI, Sandra Mara. Trabalho conjunto: a importância da extensão na formação inicial do professor de Matemática. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 14, 2015, Chiapas. Anais eletrônicos... Disponível em: . Acesso em 02 nov. 2018.

SOUZA, Taize Borges; FREITAS, Liliane Miranda. Projeto de Ensino-Extensão: impactos na formação inicial de graduandos de ciências Naturais da UFPA. Revista Universo & Extensão, 2014. Disponível em: Acesso em 02 de nov.2018

SILVA, Maria Deusa Ferreira da. Contribuição da extensão para a formação do professor de matemática a partir da realização de atividades para o ensino e aprendizagem de conceitos de trigonometria. Interfaces - Revista de Extensão, v. 3, n. 1, 2015. Disponível em: . Acesso em 02 nov.2018.

SILVA, Sandra Regina Lima dos Santos. Os professores formadores do curso de licenciatura em matemática: condições da docência. 2009. 128 p. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Potifícia Universidade Católica de São Paulo, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p145-165

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

. Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

. European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

. Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library.

 

               

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.