ProfEPT no IFPR: cenário atual, desafios e perspectivas

Mércia Freire Rocha Cordeiro Machado, Sandra Terezinha Urbanetz, Leandro Rafael Pinto

Resumo


Este artigo objetiva apresentar a trajetória do Mestrado Profissional em Educação Profissional (ProfEPT) no Instituto Federal do Paraná (IFPR) e as percepções dos estudantes da primeira turma em relação aos desafios e perspectivas dessa oferta com vistas na formação, na pesquisa e na inovação tecnológica. Está organizado de maneira descritiva e fundamentado na análise documental e na aplicação de questionários. O ProfEPT se propõe a: I) ofertar formação continuada numa perspectiva interdisciplinar e em nível de mestrado; II) promover o desenvolvimento de trabalhos de investigação na perspectiva de melhoria dos processos educativos e de gestão e; III) atender a demanda nacional por formação de recursos humanos em cursos de pós-graduação stricto sensu, com vistas ao desenvolvimento de pesquisas que integrem os saberes práticos inerentes ao mundo do trabalho ao conhecimento sistematizado e interdisciplinar. Assim sendo, tem-se como resultado, que os desafios postos para o ProfEPT se constituem também como grandes perspectivas na busca de caminhos que contribuam para o processo de formação autônoma, emancipatória e comprometida com a formação de cidadãos críticos e produtores de conhecimento.


Palavras-chave


Mestrado Profissional; Pesquisa; Inovação; Formação Profissional, ProfEPT.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Instituto Federal do Espírito Santo. Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica. Anexo ao Regulamento. 2017. 25 p.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Diretoria de Avaliação. Documento de Área - Ensino. 2016.

CIAVATTA, M. Formação de professores para a educação profissional e tecnológica: perspectivas históricas e desafios contemporâneos. In: BRASIL. Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica. Brasília: INEP, 2008, p. 41-65. (Coleção Educação Superior em Debate, 8). Disponível em: http://inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/492287. Acesso em: 11 dez. 2017.

CIAVATTA, M. Universidades tecnológicas: horizonte dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFETS)? In: MOLL, Jaqueline et al. Educação profissional e tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.

CUNHA, M. I. Políticas públicas e docência na universidade. In: CUNHA, M. I. (Org). Formatos avaliativos e concepção de docência. Campinas, SP: Autores Associados, 2005. - (Coleção educação contemporânea).

CUNHA, M. I. Aprendizagem da docência em espaços institucionais: é possível fazer avançar o campo da formação de professores? Revista Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 19, n. 3, p. 789-802, nov. 2014.

FREITAS, R. C. O. Palestra: Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica em Rede Nacional. Seminário de Alinhamento do ProfEPT. São Paulo/SP: Instituto Federal de São Paulo, 10 de março de 2017.

FRIGOTTO, G. A polissemia da categoria trabalho e a batalha das ideias nas sociedades de classe. Revista Brasileira de Educação. v. 14, n. 40. jan/abr. 2009. Disponível em: . Acesso em 23 jul. 2018.

KUENZER, A. Z. Mesa Redonda: Formação de professores para a educação profissional e tecnológica: perspectivas históricas e desafios contemporâneos In: BRASIL. Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica. Brasília: INEP, 2008, p. 19-40. (Coleção Educação Superior em Debate, 8). Disponível em: . Vários acessos

LEÃO, G. M. C., JACOMEL, M. C. W., & TAVARES, V. S. O compromisso do IFPR com o Ensino Profissional Tecnológico no Estado do Paraná. Revista Educação e Políticas em Debate, Uberlândia, v. 3, n. 1, p. 176-192. 2014. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/27691/15172. Acesso em: 21 jul. 2017.

MACHADO, L. R. de S. Diferenciais inovadores na formação de professores para a educação profissional. In: Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, v.1, n. 1. Brasília-DF: MEC/SETEC, p. 8-22, 2008a. Disponível em http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/rev_brasileira.pdf. Acesso em: 26 nov. 2018.

MACHADO, L. R. de S. Formação de Professores para a Educação Profissional e Tecnológica: perspectivas históricas e desafios contemporâneos. In: MEC/INEP. (Org.). Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica. 1ª ed. Brasília: MEC/INEP, 2008b, v. 8, p. 67-82. Disponível em http://portal.inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/492287. Acesso em: 26 nov. 2018.

MACHADO, L. R. de S. O desafio da formação dos professores para a EPT e PROEJA. Revista Educação e Sociedade. Campinas, v. 32, n. 116, p. 689-704, jul.-set. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v32n116/a05v32n116.pdf. Acesso em: 04 dez. 2018.

MOURA. D.H. Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectiva de integração. Holos, Natal, v.2, p.1-27, 2007. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/viewFile/11/110. Acesso em 03 set. 2017.

MOURA. D.H. A formação docente para uma educação profissional e tecnológica socialmente produtiva. In: BRASIL. Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica. Brasília: INEP, 2008, p. 193-223. (Coleção Educação Superior em Debate, 8). Disponível em:http://inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/492287. Acesso em: 11 dez. 2017.

MOURA. D.H. Trabalho e formação docente na educação profissional. Curitiba: Instituto Federal do Paraná, 2014 - (Coleção formação pedagógica; v. 3). Disponível em: http://curitiba.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2016/05/Trabalho-e-Forma%C3%A7%C3%A3o-Docente.pdf. Acesso em 25 nov. 2018.

PACHECO, E. Os Institutos Federais: uma revolução na Educação Profissional e Tecnológica. Brasília, 2011. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/insti_evolucao.pdf. Acesso em: 21 jul. 2017.

PEÇANHA, NILO. Plataforma Nilo Peçanha. Tipos de Curso. Disponível em: . Acesso em: 12 de novembro de 2018.

PIMENTA, S. G; ANASTASIOU, L. das G. C. Docência no Ensino Superior. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2011. - (Coleção Docência em Formação).

RAMOS, M. N. Concepção do Ensino Médio Integrado. [s.d.].[Documento Eletrônico]. Disponível em: https://tecnicadmiwj.files.wordpress.com/2008/09/texto-concepcao-do-ensino-medio-integrado-mariseramos1.pdf Acesso em: 06 ago. 2017.

RIBEIRO, R. J. O mestrado profissional na política atual da Capes. Revista Brasileira de Pós-graduação, v. 2, n. 4, p. 8-15, 2005.

SANTOS, E. H. Mesa Redonda: Formação de professores para a educação profissional e tecnológica no âmbito da legislação educacional brasileira e do ensino superior no Brasil. In: BRASIL. Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica. Brasília: INEP, 2008, p. 125-139. (Coleção Educação Superior em Debate, 8). Disponível em: http://inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/492287. Acesso em: 11 dez. 2017.

URBANETZ, S. T. Uma ilustre desconhecida: a formação docente para a educação profissional. Revista Diálogo Educacional, [S.l.], v. 12, n. 37, p. 863-883, jul. 2012. ISSN 1981-416X. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2018.

RIBEIRO, E. A. W.; SUHR, I. R. F.; BATISTA, B. N. Desafios da Pós-graduação em Educação Profissional e Tecnológica: entrevista com Rony Cláudio de Oliveira Freitas. Revista Debates em Educação: Maceió, 2019. Disponível em: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/6823/pdf Acesso em: 22 abr. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p546-563

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

. Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

. European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

. Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library.

 

               

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.