Análise dos estilos de aprendizagem de alunos do Ensino Técnico na disciplina de Operações Unitárias

Izabela de França Schaffel, Adriana Elaine da Costa, Estela Cláudia Ferretti, Fátima Peres Zago de Oliveira, Janaína Karine Andreazza

Resumo


A necessidade de um novo perfil profissional estimula a busca por um método de ensino que supra as demandas atuais da sociedade. Este estudo teve como objetivo a análise dos diferentes estilos de aprendizagem de alunos de curso Técnico em Química da disciplina de Operações Unitárias do Instituto Federal do Espírito Santo – Campus Vila Velha, visando tornar a disciplina, que tem um caráter integrador e interdisciplinar, mais acessível ao público heterogêneo de alunos. Para identificação dos estilos de aprendizagem foi aplicado um questionário baseado no modelo Felder & Silverman (1988). Por intermédio de testes estatísticos identificou-se predominância pelo estilo intermediário. Porém, para diferentes semestres, turnos e gêneros observaram-se preferências pontuais distintas, fato que constitui um desafio ao professor mediador. Em continuação a este estudo, serão inseridas na disciplina práticas pedagógicas buscando atender os diferentes perfis de alunos.


Palavras-chave


Estilos de aprendizagem; Ensino técnico e profissionalizante; Modelo de Felder-Silverman.

Texto completo:

PDF

Referências


BELHOT, R.V.; FIGUEIREDO, R.S.; MALAVÉ, C.O. O Uso da Simulação no Ensino de Engenharia. In: XXIX CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO DE ENGENHARIA, 2001, Porto Alegre, RS. Anais. Porto Alegre, 2001.

BELHOT, R.V.; FREITAS, A.A.; DORNELLAS, D.V. Benefícios do Conhecimento dos Estilos de Aprendizagem no Ensino de Engenharia de Produção. In: XXXIII CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO DE ENGENHARIA, 2005, Campina Grande, PB. Anais. Campina Grande, 2005.

BENFATTI, E.F.; FRANCO, L.R.; BUSTAMANTE, D.B. Ajustando as Dinâmicas Individuais e de Grupo aos Estilos de Aprendizagem para um Ambiente Virtual. Florianópolis SC, 2005.

BORGES, L. C; FERREIRA, D. F. Comparação de duas aproximações do teste t com variâncias heterogêneas através de simulação. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 23, n. 2, p. 390-403, 1999.

CURY, H.N. Estilos de Aprendizagem de Alunos de Engenharia. In: XXVIII CONGRESSO BRASILEIRO DE ENSINO DE ENGENHARIA, 2000, Ouro Preto, MG.

FELDER, R.M.; BRENT, R. Understanding Student Differences. Journal of Engineering Education, v.94, n 94 (1), p. 57-72, 2005.

FELDER, R.M.; SILVERMAN, L.K. Learning and Teaching Styles in Engineering Education. Engineering Education, v.78, n.7, p. 674-681, 1988.

FELDER, R.M.; SOLOMAN, B.A. Index of Learning Styles (ILS). 1991. Disponível em: . Acesso em julho 2017.

FELDER, R.M.; SPURLIN, J.E. Applications, Reliability, and Validity of the Index of Learning Styles. International Journal of Engineering Education, v.21, n.1, p. 103-112, 2005.

JESUS, E.M.S ; VIEIRA, M. L. C. ; SANTOS, D. V. ; CARVALHO, A. A. . Metodologias de ensino e os estilos de aprendizagem na graduação em farmácia: um estudo piloto. POLÍTICA E GESTÃO EDUCACIONAL (ONLINE) , v. 21, p. 621-639, 2017.

KEIRSEY, DAVID & BATES, MARILYN. Please Understand Me – Character & Temperament Types. Gnosology Books Ltd. 1984

KOLB, D. Experiential learning. Englewood Cliffs. New Jersey: Prentice Hall. 1984.

KURI, Nidia Pavan. Tipos de Personalidade e Estilos de Aprendizagem: Proposições para o Ensino de Engenharia. 2004. 337 f. Tese (Doutorado) – Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, São Carlos, 2004.

LOPES, W.M.G. ILS – Inventário de Estilos de Aprendizagem de Felder-Saloman: Investigação de sua Validade em Estudantes Universitários de Belo Horizonte. Dissertação (Mestrado) – Pós-Graduação em Engenharia de Produção. Florianópolis: Centro Tecnológico da Universidade Federal de Santa Catarina, 2002.

MYERS, Isabel Briggs; MYERS, Peter B. Gifts Differing: Understanding Personality Type. 2ª ed. Editora Nicholas Brealey Publishing. 2004.

PEREIRA, Luiz Teixeira do Vale; BAZZO, Walter Antonio. Ensino de Engenharia: na busca do seu aprimoramento. Florianópolis: Editora da UFSC. 1997.

ROSÁRIO, Jeane de Almeida. Estilos de aprendizagem de alunos de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos da UFSC: O caso da disciplina de Análise e Simulação de Processos, 2006. 113 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

SATTHERTHWAITE, F. E. An approximate distribution of estimates of variance components. Biometric Bulletin, London, v. 2, p. 110-114, 1946.

SILVA, R. B. V.; FERREIRA, D. F. Alternativas para o teste t com variâncias heterogêneas avaliadas por meio de simulação. Ciência e Agrotecnologia, Lavras , v. 27, n. 1, p. 185-191, 2003.

SNEDECOR, George W.; COCHRAN, Wilian G. Statistical Methods. 7ª edição. Editora: Iowa State University. 1980.

VALASKI, Joselaine; MALUCELLI, Andreia; REINEHR, Sheila. Revisão dos Modelos de Estilos de Aprendizagem Aplicados à Adaptação e Personalização dos Materiais de Aprendizagem. In: XXII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, 2011, Aracaju. Anais. Aracaju, 2011.

ZWYNO, Malgorzata S. A Contribution to Validation of Score Meaning for Felder- Soloman’s Index of Learning Styles. In: American Society for Engineering Education Annual Conference & Exposition, 2003, Nashville. Anais. Nashville, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p431-452

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

. Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

. European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

. Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library.

 

               

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.