Formação Docente no Contexto da Universidade Aberta do Brasil

Daniela de Oliveira Pereira

Resumo


Este artigo é resultante da pesquisa de mestrado que analisa a formação continuada de professores na Educação a Distância (EAD), no contexto da Universidade Aberta do Brasil (UAB), e a apropriação de seus dispositivos tecnológicos. Tem por objetivo problematizar como os usos das tecnologias e a diversidade cultural têm sido inseridos na formação de professores no âmbito da UAB. A partir da investigação, pode-se dizer que a UAB é uma forma de governo que conduz a formação de professores por meio da EAD e orienta o que deve ser e o que priorizar. Como ação decorrente de uma política pública, a UAB se expandiu com promessas inovadoras e democratizantes no campo da formação, mas constituída por mecanismos que produzem jogos de poder e verdades sobre os professores e a formação docente.


Palavras-chave


Formação de professores; Educação a distância; Universidade Aberta do Brasil; Foucault; Processos de subjetivação.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, Ana Paula de Lima. A ressignificação da educação a distância no ensino superior do Brasil e a formação de professores de ciências e matemática. 2010. 294 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) – Programa de Pós-Graduação Inter unidades em Ensino de Ciências, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2010. Disponível em: < www.teses.usp.br >. Acesso em: 13 fev. 2016.

BARRETO, Raquel Goulart. A formação de professores a distância como estratégia de expansão do ensino superior. Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1299-1318, 2010. Disponível em:< www.cedes.unicamp.br >. Acesso em: 13 fev. 2016.

BELLONI, Maria Luiza. Educação a distância. 7.ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

BRASIL. Decreto nº 5800, de 08 de junho de 2006. Dispõe sobre o Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). Disponível em: . Acesso em:25jun. 2017.

________. Decreto nº 9057, de 25 de maio de 2017. Regulamenta o Art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2017.

CARVALHO, Ana Beatriz Gomes. A educação a distância e a formação de professores na perspectiva dos estudos culturais. 2009. 219 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, 2009. Disponível em: . Acesso em: 02 mar. 2016.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Resolução CNE/CES nº 1, de 11 de março de 2016. Estabelece Diretrizes e Normas Nacionais para a Oferta de Programas e Cursos de Educação Superior na Modalidade a Distância. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=35541-res-cne-ces-001-14032016-pdf&category_slug=marco-2016-pdf&Itemid=30192>. Acesso em: 02 ago. 2017.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Edital CAPES nº 075, de 18 de dezembro de 2014. Dispõe sobre a oferta de vagas em cursos superiores na modalidade a distância no âmbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). Disponível em: < https://www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/Edital-075-2014-UAB.pdf>. Acesso em: 05 mar. 2017.

COUTO, Maria Elizabete Souza. A educação a distância (EAD): características e estruturação de um curso de formação continuada de professores. Revista E-Curriculum, São Paulo, v. 2, n. 3, 2006. Disponível em: < http://revistas.pucsp.br/index.php/curriculum/article/view/3156>. Acesso em: 13 fev. 2016.

DOURADO, Luiz Fernandes. Políticas e gestão da Educação Superior a Distância: novos marcos regulatórios? Educação & Sociedade, Campinas, v. 29, n. 104, p. 891-917, out. 2008. Disponível em: Acesso em: 05 jan. 2016.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. 28.ed. Rio de Janeiro: Record, 2014.

_______. O sujeito e o poder. In: RABINOW, Paul; DREYFUS, Hubert. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro:Forense Universitária, 1995, p. 231-249.

FREITAS, Helena Costa Lopes de. A (nova) política de formação de professores: a prioridade postergada. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100 - Especial, p. 1203-1230, 2007. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2016.

GITAHY, Raquel Rosan Christino; JOSÉ, Jaqueline de Souza. A utilização das tecnologias da informação e comunicação na prática de docentes. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 7, n. 2, p. 359-380, 2013. Disponível em: < www.reveduc.ufscar.br>. Acesso em: 13 fev. 2016.

JOHNSON, Ricardo; ESCOSTEGUY, Ana Carolina; SCHULMAN, Norma. O que é, afinal, Estudos Culturais? 4.ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Rio de Janeiro: Editora 34, 1999.

LIMA, Gabriela P. C. A educação em minas é uma grande empresa. 2015. 99 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – UFOP, Mariana, 2014.

MELO, Eva Rosane Magalhães de. Educação a distância (EAD) via internet na formação de professores. 2011. 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL), Tubarão, 2011. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2016.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Referenciais de Qualidade para a Educação Superior a Distância, de agosto de 2007. Documento com orientações para a modalidade de educação superior a distância no país. Disponível em: . Acesso em: 05 mar. 2017.

________. Portaria MEC nº 1134, de 10 de outubro de 2016. Revoga a Portaria MEC nº 4.059, de 10 de dezembro de 2004, e estabelece nova redação para o tema. Disponível em: < https://abmes.org.br/legislacoes/detalhe/1988/portaria-n-1134>. Acesso em: 05 mar. 2017.

________. Portaria MEC nº 4059, de 10 de outubro de 2016. Revoga a Portaria MEC nº 4.059, de 10 de dezembro de 2004, e estabelece nova redação para o tema. Disponível em: . Acesso em: 05 mar. 2017.

NASCIMENTO, Danielle. A gestão dos eixos fundamentais do Sistema Universidade Aberta do Brasil –UAB. In: III Encontro de PesquisaEducacional em Pernambuco – Educação e Participação:Qualidade Social em Questão, 2010, Recife – PE. Anais... Recife – PE: Fundação Joaquim Nabuco. Disponível em: . Acesso em: 06 ago. 2017.

NASCIMENTO, Neuvani Ana do. As mídias digitais como instrumentos culturais no desenvolvimento infantil. 2014. 154 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2014. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2016.

NUNES, João Batista Carvalho; SALES, Viviani Maria Barbosa. Formação de professores de licenciatura a distância: o caso do curso de pedagogia da UAB/UECE. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 3, p. 757-773, 2013. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2016.

OLIVEIRA, Eliana de; ENS, Romilda Teodora; ANDRADE, Daniela B. S. Freire; MUSSIS, Carlo Ralph de. Análise de conteúdo e pesquisa na área da educação. Diálogo Educacional, Paraná, v. 4, n. 9, p. 1-17, 2003. Disponível em: . Acesso em: 09 fev. 2016.

OSÓRIO, Mara Rejane Vieira. Formação de professores na Universidade Aberta do Brasil (UAB): discursos que governam. 2010. 192 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2010. Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2017.

OURIQUES, Rafael Nietsche Renzetti et al. Gestão de polos e políticas de financiamento: desafios e oportunidades na área financeira. In: XII Coloquio Internacional de Gestión Universitaria nas Américas, 2012, Veracruz – México. Anais... Veracruz – México: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade Nacional de Mar del Plata (UNMdP), Universidade Veracruzana, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Associação de Especialistas em Gestão da Educação Superior (AEGES), Universidade Nacional de Tres de Febrero (UNTREF), Universidade Tecnológica Intercontinental (UTIC) e Universidade Nacional de Caaguazú (UCA). Disponível em: . Acesso em: 07 ago. 2017.

PIMENTEL, Nara Maria et al. Relatório: Grupo de Trabalho para Elaboração da Proposta de (Re)configuração do Sistema UAB. In: FÓRUM NACIONAL DE COORDENADORES DO SISTEMA UAB. Brasília: Universidade de Brasília (UNB), 2016.

POSSOLLI, Gabriela Eyng. Políticas de educação superior a distância e os pressupostos para formação de professores. 2012. 235 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2016.

PRETTO, Nelson de Luca; RICCIO, Nicia Cristina Rocha. A formação continuada de professores universitários e as tecnologias digitais. Revista Educar, Curitiba, n. 37, p. 153-169, 2010. Disponível em: . Acesso em: 05jan. 2016.

VEIGA-NETO, Alfredo. Michel Foucault e os Estudos Culturais. In: VORRABER, Marisa. (Org.). Estudos culturais em educação: mídia, arquitetura, brinquedo, biologia, literatura, cinema...Porto Alegre: Editora UFRGS, 2000. Disponível em: . Acesso em: 08ago. 2017.

WORTMANN, Maria Lúcia Castagna; COSTA, Marisa Vorraber; SILVEIRA, Rosa Maria Hessel. Sobre a emergência e a expansão dos Estudos Culturais em educação no Brasil. Revista Educação, Porto Alegre, v. 38, n. 1, p. 32-48, 2015. Disponível em: . Acesso em: 23 fev. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p295-313

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

. Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

. European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

. Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library.

 

               

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.