A biodiversidade nas pesquisas em Educação Ambiental

Ester Aparecida Ely Almeida, Anne Caroline de Freitas, Cleusa Cavalcante Santos, Rosana Louro Ferreira Silva, Marcelo Tadeu Motokane, Fernanda Franzolin

Resumo


O objetivo deste estudo é identificar as principais características da produção acadêmica das teses e dissertações disponíveis nas bases de dados EArte e CAPES, relacionadas à educação ambiental e com foco em biodiversidade, realizadas entre 1998 até 2017. Foram selecionados e analisados 38 trabalhos, tendo como base a perspectiva metodológica qualitativa. A investigação foi apoiada em seis categorias que consideraram aspectos técnicos e categorias pautadas na conceituação de biodiversidade. Após a análise dos dados, foi possível observar que a maioria dos trabalhos foram realizados em instituições de ensino públicas e visaram aspectos como o levantamento de concepções sobre a biodiversidade; a construção de conhecimentos conceituais, bem como valores e atitudes voltados à preservação e a problemática socioambiental. Ainda assim, foi identificada a carência de trabalhos que abordem a biodiversidade de forma mais integrativa, considerando as dimensões funcional, genética e filogenética. Tendo como base os resultados aqui obtidos, destacamos a necessidade de que estudos posteriores contemplem uma visão da biodiversidade mais relacional e integrada; superando perspectivas específicas e fragmentadas sobre o tema. 


Palavras-chave


Educação ambiental. Biodiversidade. Estado da Arte.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, E. F. Produção de recurso audiovisual, como ferramenta pedagógica na educação ambiental aplicada. Revista Educação Ambiental em Ação, n.48, 2014.

ALENCAR, A. F. A biopirataria e a apropriação dos conhecimentos tradicionais associados à biodiversidade da Amazônia brasileira. 2008. Dissertação (Mestrado em Direito Ambiental) – Universidade Estadual do Amazonas, Manaus. 2008.

ALMEIDA, R. S. Indicação de áreas prioritárias para a promoção da sustentabilidade na Reserva Biológica da Contagem - DF. 2016. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade de Brasília, Brasília. 2016.

ALVARENGA, L. C. A. Avaliação de metodologias em Educação Ambiental para população do entorno da Reserva Biológica de Una, Bahia. 2003. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente) - Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus. 2003.

BARBER, C. V. Parks and people in a world of changes: Governance, participation and equity. In: BARBER, C. V.; MILLER, K.R.; BONESS, M. (Eds.), Securing Protected Areas in the Face of Global Change: Issues and Strategies. UK: IUCN, Gland, Switzerland and Cambridge, p. 97–136, 2004.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BARTASSON, L. A. Contribuição do material didático Probio-educação ambiental para a compreensão de conceitos ecológicos na educação básica: uma avaliação por meio de mapas conceituais. 2012. Dissertação (Mestrado em Ecologia) – Universidade de Brasília, Brasília. 2012.

BIELUCZYK, D. E. A percepção ambiental sobre unidades de conservação: um estudo no Parque Estadual do Espigão Alto. 2009. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões, Santo Ângelo. 2009.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais de Educação Ambiental. Brasília: Ministério da Educação, 2012.

______. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394, 20 de

dezembro de 1996.

______. Medida Provisória nº 746. 22 de setembro de 2016.

______. Política Nacional do Meio Ambiente – Lei número 6938, 31 de agosto de 1981.

______. Primeiro relatório nacional para a Convenção sobre Diversidade Biológica. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal, 1998.

______. Política Nacional de Educação Ambiental - Lei número 9795, 27 de abril de 1999.

BUIJS, A. E.; FISCHER, A.; RINK, D.; YOUNG, J. C. Looking beyond superficial knowledge gaps: understanding public representations of biodiversity. The International Journal of Biodiversity Science and Management, v.4, n.2, p.65-80, 2008.

CANDIDO, E. L. Etnozoologia no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Mato Grosso campus Juína - Biodiversidade in loco. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Niterói. 2013.

CARVALHO, C. S. Saberes e práticas pedagógicas sobre diversidade: um estudo na IV edição do Prêmio José Márcio Ayres para jovens naturalistas. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Pará, Belém. 2013.

CARVALHO, I. C. M. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Editora Cortez, 2012.

CASTRO, R. A. Abordagens e práticas relacionadas à Educação Ambiental de escolas de ensino fundamental do município de Porto Alegre. 2007. Dissertação (Mestrado em Biologia) - Unisinos, São Leopoldo. 2007.

CIRANI, C. B. S.; CAMPANARIO, M. A.; SILVA, H. H. M. A evolução do ensino da pós-graduação senso estrito no Brasil: análise exploratória e proposições para pesquisa. Revista da Avaliação da Educação Superior. v.20, n.1, pp.163-187, 2015.

CNPA. A draft plan for the future: looking to 2030. Moray: Cairngorms National Park, 2006.

CRUZ, W. P. S. Educação e conservação da biodiversidade no contexto escolar da reserva extrativista Terra Grande Pracuúba. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) - Instituto de Ciências da Educação, Universidade Federal do Pará, Belém. 2014.

DEFRA. Survey of Public Attitudes to Quality of Life and theEnvironment – 2001. London: DEFRA, 2002.

DIAS, M. A. O. A Educação Ambiental na formação do técnico agrícola do Centro Federal de Educação Tecnológica de Uberaba/MG. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação Agrícola) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica. 2005.

DINIZ, E. M. A investigação-ação no desenvolvimento de uma temática de Biologia: a biodiversidade. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) - Unimep, Piracicaba. 2005.

ELDER, J.; COFFIN, C.; FARRIOR, M. Engaging the public on biodiversity – a road map for education and communication strategies. Madison: The Biodiversity Project, 1998.

FAPESP. BIOTA-Fapesp. 1999. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2018.

______. Conhecimento e uso sustentável da biodiversidade brasileira: o Programa Biota-FAPESP. São Paulo: FAPESP, 2012.

______. BIOTA-Fapesp. 2016. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2018.

FIORI, A. Ambiente e educação: abordagens metodológicas da percepção ambiental voltadas a uma unidade de conservação. 2002. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Recursos Naturais) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos. 2002.

FONSECA, M. J. C. F. A biodiversidade e o desenvolvimento sustentável nas escolas do ensino médio de Belém, Pará, Brasil. 2003. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas) – Universidade Federal do Pará, Belém. 2003.

FONTOURA, L. M. Uso público e conservação da biodiversidade em parques nacionais do Brasil e Estados Unidos. 2014. Tese (Doutorado em Ciências ambientais e florestais) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica. 2014.

GADOTTI, M. Perspectivas atuais da Educação. São Paulo em Perspectiva, v.14, n.2, 2000.

GOMES, D. A. Q. Análise da visitação pública no Parque Estadual da Serra do Conduru (PESC) - BA. 2013. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente) – Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus. 2013.

GOMES, I. D. Taxidermia e educação ambiental: uma proposta sul catarinense para a conservação da biodiversidade. 2013. Dissertação (Mestrado em Biologia) - Unisinos, São Leopoldo. 2013.

HUNTER, L.; BREHM, J. Qualitative insight into public knowledge of and concern with biodiversity. Human Ecology, n.31, p.309–320, 2003.

JACOBI, P. Educação ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. Educação Pesquisa, v.31, n.2, 2003.

______. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n.118, p.189-205, 2003.

______. Educação Ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. Educação e Pesquisa, v.31, n.2, p.233-250, 2005.

JOLY, C. A.; RODRIGUES, R. R.; METZGER, J. P.; HADDAD, C. F. B.; VERDADE, L. M.; OLIVEIRA, M. C.; BOLZANI, V. S. Biodiversity Conservation Research, Training, and Policy in São Paulo. SCIENCE, v.328, 2010.

LÉVÊQUE, C. A Biodiversidade. Bauru: EDUSC, 1999.

LUIZ, L. A. C. Parque Estadual Mata dos Godoy (Pemg): estudo para a conservação da biodiversidade. 2008. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina. 2008.

MARSHALL. C.; ROSSMAN, G. B. Designing Qualitative Research. Thousand Oaks: Sage Publications, 2006.

MARTIN, W. E.; WISE BENDER, H.; SHIELDS, D. J. Stakeholder objectives for public lands: rankings of forest management alternatives. Journal of Environmental Management. n.58, p. 21–32, 2000.

MAY, D. Identificação do potencial para a gestão compartilhada, particular e pública de Unidades de Conservação. 2015. Tese (Doutorado em Gestão Ambiental) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2015.

METZGER, J. P.; CASATTI, L. Do diagnóstico à conservação da biodiversidade: o estado da arte do programa BIOTA/FAPESP. Biota Neotropica, v.6, n.2, 2006.

MONTEIRO, J. A. V. Conservação ex situ de espécies ameaçadas da flora brasileira: a contribuição do Jardim Botânico Plantarum. 2015. Dissertação (Mestrado em Práticas em Desenvolvimento Sustentável) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2015.

MOTOKANE, M. T. Educação e biodiversidade: elementos do processo de produção de materiais pedagógicos. 2005. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

MULONGOY, K. J.; CHAPE, S. Protected areas and biodiversity: an overview of key issues. Cambridge: CBD, UNEP-WCMC, 2004.

NASCIMENTO, M. V. E. Estudo das percepções ambientais e de ações educativas promotoras da biodiversidade em unidade de conservação no Rio Grande do Norte. 2011. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal. 2011.

NATIONAL SCIENCE FOUNDATION. 2010 – 2016 Projects. Dimensions of Biodiversity, 2016.

NUNES, D. T. A floresta e a escola: as representações sobre a biodiversidade dos/das estudantes de Farmácia. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) - Uniso, Sorocaba. 2007.

OLIVEIRA, L. B.; KAWASAKI, C. S. Concepções de biodiversidade nos professores de biologia. In: IV ENPEC - Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 4., 2005, Ribeirão Preto. Anais ... Ribeirão Preto: USP, 2005.

OTERO, P. B. G.; NEIMAN, Z. Avanços e desafios da educação ambiental brasileira entre a Rio92 e a Rio+20. Revbea, v.10, n.1, p.20-41, 2015.

PAIVA, J. L. Biodiversidade, legislação ambiental e desenvolvimento socioeconômico em unidades de conservação. 2010. Tese (Doutorado em Meio Ambiente) – Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2010.

PEGORARO, J. L. Educação Ambiental: a temática da flora, da fauna e dos ambientes naturais (expressões da biodiversidade) a partir da educação formal. 1998. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) – Universidade de São Paulo, Piracicaba. 1998.

PBMC. Primeiro Relatório da Avaliação Nacional sobre Mudanças Climáticas. Rio de Janeiro: COPPE, 2014.

PRATES, K. V. M. C. Uma proposta de ensino-aprendizagem sobre biodiversidade para estudantes do terceiro ciclo do ensino fundamental. 2003. Tese (Doutorado em Ciências da Engenharia Ambiental) – Universidade de São Paulo, São Carlos. 2003.

PROENÇA, M. S. O estudo e a valorização da biodiversidade do Rio Grande do Sul: concepções de estudantes do ensino fundamental e médio da região metropolitana de Porto Alegre. 2016. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) - Ulbra, Canoas. 2016.

PROJETO EARTE. Estado da Arte da Pesquisa em Educação Ambiental no Brasil. 2008. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2018.

ROESE, M. W. V. Educação Ambiental dialógico-crítica e a conservação da biodiversidade no entorno de áreas protegidas. 2014. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Recursos Naturais) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos. 2014.

ROMANOWSKI, J. P. As licenciaturas no Brasil: um balanço das teses e dissertações dos anos 90. 2002. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo "estado da arte" em educação. Revista Diálogo Educacional, v. 6, n.19, p.37-50, 2006.

SAMPAIO, M. B. Efeito do contato com florestas urbanas no conhecimento de crianças sobre a biodiversidade. 2015. Dissertação (Mestrado em Ecologia) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife. 2015.

SANTANA, A. R. Representações sociais de aquecimento global por professores de Ciências. 2014. Dissertação (Mestrado em Ciências e Matemáticas) - Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém. 2014.

SANTOS, A. L. Parque Zoobotânico Leopoldo Linhares Fernandes e sua contribuição para o ensino de Ciências Naturais e Educação Ambiental. 2002. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Mato Grosso, Mato Grosso, 2002.

SANTOS, A. R. Antenas ligadas para preservar a biodiversidade: concepções alternativas no ensino de Ciências. 2006. Dissertação (Mestrado em Ensino em Biociências e Saúde) – Fiocruz, Rio de Janeiro. 2006.

SATO, M.; CARVALHO, I. C. M. Educação ambiental. Porto Alegre: Artmed, 2005.

SENA, L. M. Educação ambiental e o trabalho com valores: um estudo de caso. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de São Paulo, Rio Claro. 2010.

SNH. Making a difference for Scotland’s Species: A Framework for Action. 2006. Disponível em: Acesso em: 27 jul. 2018.

SOBRINHO, O. P. G. P. Abordagem mediatizada no uso da coletânea 'Diversidade dos seres vivos: eu também faço parte!' para estudos sobre biodiversidade e as inter-relações ambientais nos anos iniciais do ensino fundamental. 2015. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) – Universidade Federal do Mato Grosso, Campo Grande. 2015.

SORRENTINO, M.; TRAJBER, R.; MENDONÇA, P.; FERRARO JUNIOR, L. A. Educação ambiental como política pública. Educação e Pesquisa, v.31, n.2, p.285-299, 2005.

SORRENTINO, M. De Tbilisi a Tessaloniki, a educação ambiental no Brasil. In: JACOBI, P. et al. (orgs.). Educação, meio ambiente e cidadania: reflexões e experiências. São Paulo: SMA, 1998.

SOUZA, D. S. As contribuições do Direito, da Bioética e da Educação Ambiental para a proteção do patrimônio genético brasileiro: por uma práxis emancipatória crítica e transformadora. 2016. Dissertação (Mestrado em Direito e Justiça Social) – Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande. 2016.

SOUZA, M. G. Contribuições de um programa educativo de uma organização não governamental (ONG) para a prática da Educação Ambiental na conservação da biodiversidade. 2005. Dissertação (Mestrado em Ciências da Engenharia Ambiental) – Universidade de São Paulo, São Carlos. 2005.

STEWART, D. Scottish biodiversity list social criterion: Results of a survey of the Scottish population. Research Findings, n.26, 2006.

WILSON, E. O. Diversidade da vida. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

WEELIE, D. V.; WALS, A. Making biodiversity meaningful through environmental education. International Journal of Science Education, v. 24, n.11, p.1143-1156, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p29-50

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

. Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

. European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

. Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library.

 

               

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.