Estágio de observação supervisionado em Ciências e Biologia: contribuições da pedagogia histórico-crítica

Mateus Luiz Biancon, Carolina Borghi Mendes, Jorge Sobral da Silva Maia

Resumo


No presente artigo apresentamos os primeiros resultados de uma pesquisa maior que visa articular o estágio supevisionado aos fundamentos da Pedagogia Histórico-Crítica. Aqui tratamos do estágio supervisionado de observação em Ciências e Biologia. A sistematização da proposta busca contribuir com a formação inicial dos licenciandos partido do processo de observação, pois este caracteriza-se pelo momento em que os licenciandos se inserem nas escolas assistindo ao seu funcionamento e às aulas, tendo por base uma fundamentação teórica que permita aos estagiários potencializar sua capacidade analítica e crítica em relação ao seu futuro universo de atuação profissional. Apresentamos sua estruturação em dois momentos; o primeiro diz respeito à observação da situação escolar, compreendendo suas implicações à prática educativa, e o segundo, elencamos os elementos a serem observados durante as aulas de Ciências Naturais na perspectiva histórico-critica.

Palavras-chave


Estágio de Observação Supervisionado. Pedagogia Histórico-Crítica. Escola Pública. Licenciatura.

Texto completo:

PDF

Referências


BIANCON, Mateus Luiz. Educação em sexualidades crítica: formação continuada de professoras/es com fundamentos na pedagogia histórico-crítica. 2016.186 f. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência e Matemática) - Universidade Estadual de Maringá, Maringá-PR, 2016.

CARVALHO, Saulo R. O estágio supervisionado da teoria à prática: reflexões a respeito da epistemologia da prática e estágio como pesquisa a luz da pedagogia histórico-crítica. Revista HISTEDBR Online, Campinas-SP, n. 52, p. 321-339, set. 2013.

CONTRERAS, José. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

DUARTE, Newton. A individualidade para-si: contribuições a uma teoria histórico-social da formação do indivíduo. Campinas-SP: Autores Associados, 1993.

DUARTE, Newton. Concepções Afirmativas e Negativas Sobre o Ato de Ensinar. In: Duarte, N. (org.), O Professor e o Ensino, Novos Olhares, Cadernos CEDES n. 44. Campinas-SP: CEDES, p. 85-106, 1998.

DUARTE, Newton. Limites e contradições da cidadania na sociedade capitalista. Pro-Posições, Campinas-SP, v. 21, n. 1 (61), p. 75-87, jan./abr. 2010.

GIL, Antonio C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GRAMSCI, Antônio. Cadernos do Cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000. v. 2.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. São Paulo: Paz e Terra, 1995.

LUKÁCS, György. Introdução a uma estética marxista: sobre a particularidade como categoria da estética. Tradução de Carlos Nelson Coutinho e Leandro Konder. São Paulo: Instituto Lukács, 2018.

MAIA, Jorge Sobral da S. Educação ambiental crítica e formação de professores: construção coletiva de uma proposta na escola pública. 2011. 250f. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência) - Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru-SP, 2011.

MAIA, Jorge Sobral da S. Educação ambiental crítica e formação de professores. Curitiba-PR: Appris, 2015.

MAIA, Jorge Sobral da S. Trabalho pedagógico e formação continuada de professores em educação ambiental crítica na escola pública. Ambiência - Revista do Setor de Ciências Agrárias e Ambientais, v. 13, Edição Especial dez. 2017. Disponível em: https://revistas.unicentro.br/index.php/ambiencia/article/view/4795. Acesso: 03 fev. 2019.

MARSIGLIA, Ana Carolina G. A prática pedagógica histórico-crítica na educação infantil e ensino fundamental. Campinas-SP: Autores Associados, 2011. (Coleção Educação contemporânea).

MARTINS, Lígia M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico cultural e da pedagogia histórico-crítica. 2011. 250 f. Tese (Livre-Docenteem Psicologia da Educação) - Departamento de Psicologia, Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru-SP, 2011.

MARTINS, Lígia M. Os fundamentos psicológicos da pedagogia histórico-crítica e os fundamentos pedagógicos da psicologia histórico-cultural. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador-BA, v. 5, n. 2, p. 130-143, dez. 2013.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política - Livro I: O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MAZZEU, Fernando J. C. Uma proposta metodológica para a formação continuada de professores na perspectiva histórico-social. Cadernos Cedes, v. 19, n. 44, p. 59-72, abr. 1998.

MENDES, Carolina B.; BIANCON, Mateus L.; FAZAN, Paulo B. Interlocuções entre a Pedagogia Histórico-Crítica e a Psicologia Histórico-Cultural para o ensino de Ciências. Revista Ciência & Educação. 2019. No prelo.

PASQUALINI, Juliana C. Contribuições da Psicologia Histórico-Cultural para a educação escolar de crianças de 0 a 6 anos: desenvolvimento infantil em Vigotski, Leontiv e Elkonin. 2006. 207f. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Araraquara-SP, 2006.

PASQUALINI, Juliana C.; MARTINS, Lígia M. Dialética singular-particular-universal: implicações do método materialista dialético para a psicologia. Psicologia & Sociedade, v. 27, n. 2, p. 362-371, 2015.

PINHEIRO, Bárbara C. S. Pedagogia histórico-crítica na formação de professores de ciências. Curitiba-PR: Appris, 2016.

RIBEIRO, Maria Luisa S. Educação Escolar: que prática é essa? Campinas-SP: Autores Associados, 2001.

SANTOS, Celso S. dos. Ensino de Ciências: abordagem histórico-crítica. 2ª ed. Campinas-SP: Armazém do Ipê, 2012.

SAVIANI, Dermeval; DUARTE, Newton. A formação humana na perspectiva histórico-ontológica*. Revista Brasileira de Educação, v. 15, n. 45, set./dez. 2010.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. 34ª ed. Campinas-SP: Autores Associados, 2010.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia Histórico-Crítica: primeiras aproximações. 11ª ed. Campinas-SP: Autores associados, 2012.

SAVIANI, Dermeval. A Pedagogia Histórico-Crítica na Educação do campo. In: BASSO, J. D.; NETO, J. L. S.; BEZERRA, M. C. S. (orgs.). Pedagogia Histórico-Crítica e Educação no campo: histórias, desafios e perspectivas atuais. São Carlos-SP: Pedro & João Editores e Navegando, 2016, p. 16-43.

TEIXEIRA, Lucas A. Formação do educador ambiental: reflexões de um professor da escola pública. 2013. 277 f. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru-SP, 2013.

VIEIRA, Emília P. Gramsci e suas contribuições para a compreensão do trabalho docente. Revista Trabalho e Educação, v. 17, n. 1, jan./abr. 2008.

VIGOTSKI, Lev S. A construção do pensamento e da linguagem. Tradução de Paulo Bezerra. 1ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

VIGOTSKI, Lev S. A psique, a consciência, o inconsciente. In: Teoria e método em psicologia. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004, p. 137-160.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

. Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

. European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

. Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library.

 

               

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.