Alfabetização Científica e o Ensino de Ciências nos anos iniciais: slogan ou realidade no cotidiano escolar?

Juliana Carvalho Pereira, Maria do Rocio Fontoura Teixeira

Resumo


O artigo objetivou investigar quais são os conceitos de Alfabetização Científica (AC) presentes em teses e dissertações produzidas junto a Programas de Pós-Graduação de Ensino de Ciências e Educação Científica, no período de 2013 a 2016, e que tratam sobre o Ensino de Ciências junto aos anos iniciais do Ensino Fundamental. A apresentação e a organização dos dados foram caracterizadas e classificadas com base na análise de conteúdo, a partir de três categorias: AC no âmbito teórico, AC no âmbito contextual e AC no âmbito prático.  Os resultados indicaram a pluralidade semântica do termo, convergindo com a multidimensionalidade da relação da AC no Ensino de Ciências voltado para o avanço da ciência e tecnologia. Ainda indicaram a necessidade de melhor preparar o sujeito para a carreira científica e voltada ao desenvolvimento tecnológico, mas primando por sua melhoria da vida. Dessa forma, implica repensar o currículo escolar de Ciências, a formação inicial e formação continuada do professor.


Palavras-chave


Ensino de Ciências, Alfabetização Cientifica, Produção Científica

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, K.S. Ensino por investigação: identificando elementos de escrita científica na produção textual de alunos do Ensino Fundamental. 2015. 124f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências) – Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, 2015.

AULER, D. Alfabetização científico-tecnológica: um novo “paradigma”? Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, v. 5, n. 1, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/epec/v5n1/1983-2117-epec-5-01-00068.pdf. Acesso em: 07 jul. 2018.

AULER, D.; DELIZOICOV, D. Alfabetização científico-tecnológica para quê? Ensaio: pesquisa em educação em ciências, v. 3, n. 1, p. 105-115, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/epec/v3n2/1983-2117-epec-3-02-00122.pdf. Acesso em 07 jul. 2018.

AZEVEDO, L. B. S. Ensino de Ciências por Investigação nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental: estudos dos conceitos básicos de eletricidade para a promoção da alfabetização científica. 2016. 142 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Federal de Alagoas, Maceió,2016.

BACHELARD, G. A formação do espírito científico: uma contribuição para a psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BASTOS, A. P. S. Abordagem Temática Freireana e o Ensino de Ciências por Investigação: contribuições para o ensino de ciências/física nos anos iniciais. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Formação de Professores) – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, 2013.

BONFIM, H.C.C. A alfabetização científica e tecnológica no ciclo II do Ensino Fundamental: um estudo nas escolas municipais de Curitiba. 2015. 518 f. Dissertação (Educação em Ciências e Matemática) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2015.

BRITO, L.O. Ensino de ciências por investigação: uma estratégia pedagógica para promoção da alfabetização científica nos primeiros anos do Ensino Fundamental. 2014. 159 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2014.

BYBEE, R.; McCRAE, B. Scientific Literacy and Student Attitudes: perspectives from PISA 2006 science. International Journal of Science Education, v. 33, n.1, jan. 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/09500693.2010.518644 Acesso em: 20 jan 2019.

CACHAPUZ, A.F.; GIL-PÉREZ, D.; CARVALHO, A. M. P.; PRAIA, J.F.; VILCHES, A. (orgs.). Importância da educação científica na sociedade atual. In: ------. A necessária renovação do ensino das Ciências. 3. ed. São Paulo: 2011. p. 17-32.

CAROSO, F. S. Formação continuada de Professores dos anos iniciais da Educação Básica: contribuições de uma intervenção formativa em Ciências Naturais. 2016. 199 f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Formação de Professores) – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, 2016.

CAVALCANTI, J. D. B.; LIMA, A.P.A.B. A utilização da noção de relação ao saber (rapport au savoir) no contexto do Ensino de Matemática: mapeamento inicial de referências bibliográficas. Ciência e Educação, Bauru, v. 24, n. 4, out-dez, 2018, p. 1065-1079. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-73132018000401065&lng=pt&tlng=pt. Acesso em 13 jan. 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1516-731320180040016.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a educação. 8. ed. Ijuí: Ed. Unijuí, 2018.

CORDEIRO, R.V. Alfabetização científica no contexto dos anos iniciais do ensino fundamental: (des) construindo práticas pedagógicas. 2015. 357f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação em Ciências e Matemática) – Instituto Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.

DEBOER, G.E. Scientific Literacy: another look a its historical and contemporary meanings and its relationship to Science education reform. Journal of Research in Science Teaching. V.37, n.6, p. 582 – 601, 2000.Disponível em: https://web.nmsu.edu/~susanbro/eced440/docs/scientific_literacy_another_look.pdf>. Acesso em: 10 dez. 2018.

DELIZOICOV, D. SLONGO, I. I.P., LORENZETTI, L. Um panorama da pesquisa em educação em ciências desenvolvida no Brasil de 1997 a 2005. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, Vol. 12, n. 3, p. 459-48. 2013. Disponível em: http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen12/REEC_12_3_5_ex718.pdf. Acesso em 15 nov. 2018.

DIJKINGA. E.A. Ensinando e aprendendo sobre a produção de energia elétrica: componentes de ludicidade e alfabetização científica. 2016. 77f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Tecnologia) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2016.

FERNANDES, R.C.A; MEGID-NETO, J. Características e tendências das dissertações e teses brasileiras sobre práticas de ensino de ciências nos anos iniciais escolares (1972-2011). Interações, v. 1, p. 540-551, 2015.

FOUREZ, G. Alfabetización científica y tecnológica: acerca de las finalidades de la enseñanza de las ciencias. Buenos Aires: Colihue, 1997.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. 23. ed. Rio de Janeiro: Ed. Paz e Terra, 1999.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 2012.

GIL-PÉREZ. D. et. al. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência e Educação, v.7, n.2, p. 125-153, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v7n2/01.pdf. Acesso em 14 out. 2018.

GONCALVES, C. R. Educação ambiental nos anos iniciais: uma proposta com sequencia didática. 2014. 89f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciência e Tecnologia) – Universidade Federal Tecnológica do Paraná, Ponta Grossa, 2014.

HURD, P. D. (1998). Scientific Literacy: New minds for a changing world. Science Education, v. 82, n. 3, p. 407-416. 1998. DOI:10.1002/(SICI)1098-

ISSA, A. R. M.S. A construção da argumentação no ensino de ciências por investigação visando a promoção da alfabetização científica. 2015. 96f. Dissertação (Mestrado Educação para a Ciência e para Matemática) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Jataí, 2015.

KRASILCHIK, M.; MARANDINO, M. Ensino de ciências e cidadania. 2 ed. São Paulo: Moderna, 2007

LAUGKSCH, R.C. Scientific literacy: a conceptual overview. Science Education, n. 84, p. 71–94, 2000. Disponível em: http://www.kcvs.ca/martin/EdCI/literature/literacy/Laugksch_Scientific_Literacy.pdf. Acesso em 3 de nov. 2018.

LEONOR, P. B. Ensino por investigação nos anos iniciais: análise de sequências didáticas de ciências sobre seres vivos na perspectiva da alfabetização científica. 2013. 190f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação em Ciências e Matemática) – Instituto Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013.

LETTA, L.A. As ações do (a) professor (a) no ensino fundamental I ao aplicar uma Sequência de Ensino Investigativa (SEI). 2014. 164f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

MARQUES, A.C.T. L.; MARANDINO, M. Alfabetização científica e criança: análise de potencialidades de uma brinquedoteca. Revista Ensaio, Belo Horizonte. v.21. 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-21172019210102. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-21172019000100303&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 20 mar. 2019.

MATOS, E.M. Um olhar para o ensino de ciências a partir da abordagem de temas sociais em oficinas de leitura. 2015. 103f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, Nilópolis, 2015.

MORAES, F.V. Os desafios e as possibilidades de ensinar ciências nos anos iniciais do ensino fundamental: uma investigação com professores. 2014. 204f. Tese (Doutorado em Educação Para a Ciência) – Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2014.

MORAES, R.; GALIAZZI, M.C. Análise textual discursiva. 3. ed. Ijuí: Ed. Unijuí.

MOREIRA, E.C.S. Unidades de ensino potencialmente significativas como estratégia didática para formação de professores dos anos iniciais do ensino fundamental. 2015.Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2015.

MORTIMER, E. F. Linguagem e formação de conceitos no ensino de Ciências. Belo Horizonte: Ed. UFMG. 2000.

NASCIMENTO, S. S.B. “Onde está o ar? ” Sequência de ensino investigativo para a promoção da alfabetização científica de alunos do 3º ano do ensino fundamental. 2013. 135f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciências e Matemática) - Instituto Federal de Goiás, Jataí, 2013.

NORRIS, S.P.; PHILLIPS, L.M. How literacy in its fundamental sense is central to scientific literacy. Science Education, v.87, n.2, 224-240, 2003. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/sce.10066/pdf.Acesso em: 04 jun. 2018.

OLIVEIRA, A.M.; GEREVINI, A.M.; STROHSCHOEN, A.A.G. Diário de bordo: uma ferramenta metodológica para o desenvolvimento da alfabetização científica. Revista Tempos e Espaços em Educação, São Cristóvão, Sergipe, v. 10, n. 22, p. 119-132, mai./ago. 2017. http://dx.doi.org/10.20952/revtee.v10i22.6429 |

OLIVEIRA, A.P F.M. Ensino de Ciências nos anos iniciais do Ensino Fundamental: o que dizem os professores. 2015. 178f. Dissertação (Mestrado em Educação Para a Ciência) – Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2015.

OLIVEIRA, D.B.G. O ensino de zoologia evolutiva nas séries iniciais: uma experiência desenvolvida com o 3º ano do ensino fundamental. 2013. 141f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Formação de Professores) – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, 2013.

OLIVEIRA, G. V. A. Relações entre o desempenho escolar em leitura e a aprendizagem de ciências: um estudo com alunos do ensino fundamental. 2014. 144f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2014.

PEREIRA, J. C.; TEIXEIRA, M. R. F. A Alfabetização Científica e os anos iniciais: um olhar sobre as teses e dissertações da Educação em Ciências dos anos de 2013 a 2015. In: XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Florianópolis-SC. Disponível em: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/xi-enpec/anais/listaresumos.htm. Acesso em 14 de dez de 2018.

PIZARRO, M.V. Alfabetização científica nos anos iniciais: necessidades formativas e aprendizagens profissionais da docência no contexto dos sistemas de avaliação em larga escala. 2014. 355f. Tese (Doutorado em Educação Para a Ciência) – Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2014.

POZO, J. I.; CRESPO, M. A. G. A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

PRAIA, J.; GIL-PÉREZ, D; VILCHES, A. O papel da natureza da ciência na educação para a cidadania. Ciência e Educação, v. 13, n. 2, p. 141-156, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ciedu/v13n2/v13n2a01.pdf>. Acesso em 14 out. 2018.

ROSA, C. T. W.; DARROZ, L. M.; MINOSSO, F. B. Alfabetização científica e ensino de ciências nos anos iniciais: concepções e ações dos professores. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 12, n. 1, 2019. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbect/article/viewFile/7530/pdf. Acesso em: 18 mar. 2019.

SANTOS, C. S. Ensino de ciências: abordagem histórico-crítica. Campinas: Armazém do Ipê, 2005.

SANTOS, R.B. Ensino de ciências à luz da pedagogia histórico-crítica no contexto dos anos iniciais do ensino fundamental: potencialidades e desafios. 2015. 224f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação em Ciências e Matemática) – Instituto Federal do Espírito Santo, Vitória,2015.

SASSERON, L. H. Alfabetização Científica, ensino por investigação e argumentação: relações entre ciências da natureza e escola. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, v. 17, p. 49-67, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/epec/v17nspe/1983-2117-epec-17-0s-00049.pdf. Acesso em 10 out. 2018.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A.M.P. Almejando a Alfabetização Científica no Ensino Fundamental: A Proposição e a Procura de Indicadores do Processo. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 13, p. 333-352, 2008. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/445/263. Acesso em: 13 dez. 2018.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A.M.P. Construindo argumentação em sala de aula: a presença do ciclo argumentativo, os indicadores de Alfabetização Científica e o padrão de Toulmin. Ciência e Educação, v. 17, n. 1, p. 97 - 114, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-73132011000100007&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 13 dez. 2018.

SASSERON, L.H. Alfabetização Científica e documentos oficiais brasileiros: um diálogo na estruturação do ensino da Física. In: Anna Maria Pessoa de Carvalho. (Org.). Ensino de Física. 1ed.São Paulo: Cengage Learning, 2010, v. único, p. 1-28. Disponível em : < https://issuu.com/cengagebrasil/docs/ensino_de_fisica>. Acesso em 10 jan. 2019.

SILVA, A.P.A. Ciência e arte em sintonia no processo de aprendizagem por meio do ensino problematizador, na disciplina de ciências naturais no 5o ano do ensino fundamental. 2015. 128. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) - Universidade Estadual de Roraima, Boa Vista, 2015.

SILVA, M. L.P. Alfabetização Científica nos anos iniciais do Ensino Fundamental na Rede Municipal de Piranguçu/ MG: Formação e Prática. 2013. 147f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências) – Universidade Federal de Itajubá, Itajubá, 2013.

SILVA, V. F. A presença de alunos autistas em salas regulares, a aprendizagem de ciências e a alfabetização científica: percepções de professores a partir de uma pesquisa fenomenológica. 2016. 187 f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Bauru, 2016.

SOARES, M. Alfabetização e letramento. 7a ed. São Paulo: Contexto, 2017.

SOUZA, A. L. S. A formação do pedagogo na UESB, campus de Jequié, para o ensino de ciências nos anos iniciais. 2013. 194f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Formação de Professores) - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, 2013.

TEIXEIRA, C.R. A estação de ciências Margarete Cruz Pereira: contribuições para a educação científica na rede municipal de ensino de Cariacica-ES. 2015. 188f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação em Ciências e Matemática) – Instituto Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.

TOTI, M. C.S. O currículo de ciências no ciclo de alfabetização e o efeito do pacto nacional pela alfabetização na idade certa (PNAIC): um estudo sobre um município do sudoeste goiano – Jataí. 2014. 181f. Dissertação (Mestrado Educação para a Ciência e para Matemática) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, Jataí, 2014.

VIECHENESKI, J.P. Sequência didática para o ensino de ciências nos anos iniciais: subsídios teórico-práticos para a iniciação à alfabetização científica. 2013. 170f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciência Tecnologia) – Universidade Tecnologia Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2013.

VYGOTSKY, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

ZOCOLER, F.A.S. O processo de ensino aprendizagem do discurso científico nos primeiros anos do ensino fundamental I. 2016. 182f. Dissertação (Mestrado em Ensino História e Filosofia das Ciências e Matemática) Universidade Federal do ABC, Santo André, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p474-494

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

. Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

. European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

. Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library.

 

               

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.