Metodologias e Tecnologias Digitais: a voz do coletivo/singular na formação inicial do professor de Matemática

Tiago Dziekaniak Figueiredo, Victor Ferreira Ragoni

Resumo


Com as expressivas transformações da sociedade impulsionadas pelos avanços das tecnologias digitais a formação de professores necessita estar em constante estudo. Nesta perspectiva, foi realizada uma pesquisa qualitativa buscando compreender como futuros professores de matemática entendem o uso pedagógico das tecnologias digitais e para isso, foi aplicado um questionário a 12 alunos do curso de Matemática de uma universidade federal da região centro-oeste do Brasil no ano de 2017. Os dados foram tabulados e analisados por meio da técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. No estudo, destaca-se que o uso das tecnologias em suas futuras aulas poderá ser uma forma de potencializar o ensino da matemática desde que auxiliada por uma metodologia eficaz e, o quão é importante olhar para a formação inicial de professores, buscando respostas para os anseios formativos.


Palavras-chave


Formação de professores; Tecnologias digitais; Educação matemática.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSMANN, H. A metamorfose do aprender na sociedade da informação. Ciência da informação, v. 29, n. 2, p. 7-15, 2000.

BETTEGA, M. H. A educação continuada na era digital. São Paulo: Cortez, 2004. (Coleção questões da nossa época; v. 116).

BRASIL. Parecer CNE/CP 9/2001, de 8 de maio de 2001. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 18 jan. 2002b. Seção 1, p. 31.

BORBA, M. C.; PENTEADO, M. G. Informática e educação matemática. 5ª ed. Belo Horizonte/MG: Autêntica Editora, 2012.

CHARLOT, Be. O professor na sociedade contemporânea: um trabalhador da contradição. In: Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade. V. 17. N. 30. P. 17-31, jul./dez. 2008.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA – SBEM. Boletim SBEM. Nº. 21, 2013.

CUNHA, M. I. da. A indissociabilidade do ensino com a pesquisa e a extensão como referente de qualidade na universidade brasileira: um discurso em tensão. In: CUNHA, M. I. da. Qualidade da graduação: a relação entre ensino, pesquisa e extensão e o desenvolvimento profissional docente. Araraquara, SP: Junqueira&Marin, 2012, p. 17 – 38.

______. A universidade: desafios políticos e epistemológicos. In: CUNHA, M. I. da. (Org.). Pedagogia universitárias: energias emancipatórias em tempos neoliberais. Araraquara, SP: Junqueira&Marin, 2006, p. 13 – 30.

______. Inovações pedagógicas: o desafio da reconfiguração de saberes na docência universitária. In: Pimenta, S. G.; ALMEIDA, M. I. Pedagogia universitária. São Paulo, SP: EDUSP, 2009. P. 211 – 136.

FIGUEIREDO, T. D. Os Professores de matemática e as Tecnologias Digitais: Uma Cultura Docente em Ação. 2015. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande/RS.

LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE, A. M. C. Novos Instrumentos no Contexto da Pesquisa Qualitativa. In: LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE, A. M. C.; TEIXEIRA, J. J. V. (Org.). O discurso do sujeito coletivo: uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. p. 11-35, Caxias do Sul: EDUCS, 2000.

MATURANA, Humberto. A ontologia da realidade. 3. Ed. Belo Horizonte, MG: Editora UFMG, 2014.

OROFINO, M. I. Mídias e educação escolar: pedagogia dos meios, participação e visibilidade. São Paulo: Cortez, 2005.

PIMENTA, S. G. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? 11.ed. São Paulo: Cortez, 2012.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. In: Revista Brasileira de Educação. V. 14. N. 40. Jan./abr. 2009.

SANCHO, J. M. De Tecnologias da Informação e Comunicação a Recursos Educativos. In: HERNÁNDEZ, F.; SANCHO, J. M. et al. (Org.) Tecnologias para transformar a Educação. Porto Alegre/RS: Artmed, 2006.p. 15 – 4.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 17ª ed. 2ª Reimpressão. Petrópolis/RJ: Editora Vozes, 2014.

UFGD. PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE MATEMÁTICA da Universidade Federal da Grande Dourados. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p273-294

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

. Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

. European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

. Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library.

 

               

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.