CAPACIDADE DE USO DO SOLO DO CAMPUS MARAGOGI

Matias Silva Nascimento, Crísea Cristina Nascimento de Cristo, Ellen Carine Neves Valente

Resumo


O manejo das terras influencia diretamente a sua resposta ambiental sendo assim o uso inadequado da terra pode levar a degradação. Diante disto este trabalho teve como objetivos: caracterizar os solos do campus sob os aspectos químicos e físicos; identificar e classificar as principais classes de solo presentes na área e construir um mapa de capacidade de uso do solo. A área do campus foi dividida em glebas, de acordo com o uso atual do solo, histórico de uso, tipo de vegetação, risco de inundação, pedregosidade e declividade aparente. Após identificação de áreas homogêneas foram coletadas amostras de solo e levadas para laboratório onde foi caracterizada física e quimicamente. Foram abertas trincheiras para analisar o perfil do solo e classifica-lo. A caracterização química e física do solo do Campus Maragogi demostrou que estes tem predomínio acido e arenoso respectivamente; As principais classes de solo presentes foram, Neossolo, Latossolo, Argissolo e Gleissolo; Foi possível construir um mapa de capacidade de uso do solo com sugestões de plantio; Através desse estudo, concluímos que a área do campus Maragogi tem limitações agrícolas, se fazendo necessário praticas de manejo do solo respeitando a capacidade de uso do mesmo.

Texto completo:

Arquivo Completo

Referências


SANTOS, D. B. C. dos. Uso de SIG em estudo etnopedológico na Região do Timbó, Vale do Jiquiriçá, Bahia. Cruz das Almas: UFRB. 2011 (Dissertação).

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual Técnico de Manual Técnico de Manual Técnico de Pedologia. 2ª edição Rio de Janeiro: IBGE, 2007.

RIZZATO, C. M. Levantamento pedológico de uma área-piloto relacioniada ao projeto BiosBrasil (Conservation and Sustainable Management of Below-Ground Biodiversity: Phase I), Município de Benjamim Constant (AM):Janela 6 [recurso eletrônico] Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2005. Boletim de pesquisa e desenvolvimento)

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Manual de métodos de análise de solo. 3. ed. Rio de Janeiro: Embrapa, 2009. 212 p.

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília: Embrapa Produção de Informação; Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2006. 412 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Matias Silva Nascimento, Crísea Cristina Nascimento de Cristo, Ellen Carine Neves Valente