CARAVANA AGROECOLÓGICA: Experiências e Desdobramentos

Thiago Marques Pereira, Wanda Griep Hirai

Resumo


RESUMO: Este trabalho foi realizado a partir das experiências vividas durante nossa participação na Caravana Agroecológica e Cultural de Alagoas, com o tema “Mulheres Camponesas e a Construção da Agroecologia na Mata Alagoana”. A partir de uma abordagem investigativa pautada pelo materialismo histórico-dialético, objetivamos retratar os entraves e avanços relacionados à luta camponesa, com ênfase na figura feminina, bem como tratar acerca da construção da Agroecologia na Zona da Mata alagoana, destacando os obstáculos fruto da atividade sucroalcooleira marcada pela monocultura e o latifúndio que degrada e contamina o solo, impactando negativamente na qualidade da alimentação da população. Em nossa trajetória visitamos assentamentos localizados nos municípios de Messias, Murici, Branquinha e São Luís do Quitunde, onde pudemos visualizar a produção de alimentos sem o uso de agrotóxicos, utilizando-se para tal de métodos agroecológicos. Evidenciamos avanços tais como o protagonismo feminino, especialmente na organização dos assentados, através do desenvolvimento de consciência política nas comunidades. Todavia, problemas também foram revelados, entre eles o manejo incorreto do solo, o descaso governamental em relação ao cumprimento de políticas destinadas ao agricultor e as dificuldades para que os jovens da comunidade deem continuidade à atividade agrícola que herdaram de seus pais. As lutas travadas por anos para o estabelecimento dos assentamentos servem de inspiração para superar os vários problemas que ora se apresentam, fazendo com que o agricultor siga em sua luta contra o latifúndio e em favor da reforma agrária. 


Texto completo:

Arquivo Completo

Referências


BEARDWORTH e KEIL Apud AZEVEDO, Elaine de. Promoção da Saúde, Sustentabilidade e Agroecologia: uma discussão intersetorial. São Paulo: Saúde e Sociedade, v. 20, n. 3, 2011, p. 718.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais 1/1992 a 68/2011, pelo Decreto Legislativo 186/2008 e pelas Emendas Constitucionais de Revisão 1 a 6/1994. – 35. ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2012.

CONSEA. Princípios e Diretrizes de uma Política de Segurança Alimentar e Nutricional. Brasília: Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, 2004.

GOMES, Renata Mainenti. Reforma Agrária e Segurança Alimentar no Brasil: Reflexões no contexto das Políticas Públicas Sociais. Brasília, 2012.

GUERRA, Yolanda. A Instrumentalidade no Trabalho do Assistente Social. Programa de capacitação continuada para assistentes sociais, Módulo IV: O Trabalho do assistente social e as políticas sociais. Brasília: CFESS/ABEPSS – UNB, 2000, p. 3.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa social. Teoria, método e criatividade. 23 ed. Petrópolis: Vozes, 2004, p. 59-60.

PELINIONI apud AZEVEDO. Promoção da Saúde, Sustentabilidade e Agroecologia: uma discussão intersetorial. São Paulo: Saúde e Sociedade, v. 20, n. 3, 2011, p. 716.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Thiago Marques Pereira, Wanda Griep Hirai