Níveis de esterco bovino em substratos para produção de mudas de abóbora

Jailson do Carmo Alves, Mônica Lima Alves Pôrto, Artur de Oliveira Silva

Resumo


Objetivou-se avaliar a produção de mudas de abóbora (Cucurbita moschata Duch., cv. Jacarezinho) em substratos com concentrações crescentes de esterco bovino. O experimento foi conduzido no delineamento blocos casualizados, com cinco concentrações de esterco bovino no substrato (0; 25; 50; 75 e 100% (v v-1), em relação ao solo) e quatro repetições. As mudas foram produzidas em bandejas de poliestireno expandido com 128 células em viveiro telado. Aos 14 dias após a semeadura, foram avaliados o diâmetro do colo, altura, número de folhas, matéria seca das raízes e matéria seca da parte aérea das mudas. Todas as características avaliadas aumentaram de forma linear com o incremento das concentrações de esterco bovino no substrato. Os valores máximos de diâmetro do colo (4,22 mm), altura (18,03 cm), número de folhas (1,82 unidades/plântula), matéria seca das raízes (0,046 g/plântula) e matéria seca da parte aérea (0,251 g/plântula) das mudas foram obtidos com o emprego da concentração máxima de esterco bovino no substrato, indicando que pode ser empregado um substrato integralmente a base de esterco bovino
para a produção de mudas de abóbora.


Texto completo:

Arquivo Completo

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Jailson do Carmo Alves, Mônica Lima Alves Pôrto, Artur de Oliveira Silva