Produção de mudas de árvores de múltiplo propósito para implementação de sistemas agroflorestais no norte do estado do Maranhão

Keliane Paiva Da Silva

Resumo


RESUMO: A extinção das florestas tem como consequência a perda da biodiversidade, a erosão do solo e consequentemente o assoreamento dos cursos de água. Em regiões tropicais, alguns sistemas atuais de uso da terra são inapropriados para o meio ambiente. O estado avançado de degradação desses ecossistemas justifica o desenvolvimento de técnicas de reflorestamento em grande escala. Este trabalho tem como objetivo a produção de mudas de espécies arbóreas para a recomposição da mata ciliar e implantação de SAF´s no município de Arari-MA.


Texto completo:

Arquivo Completo

Referências


ALTIERI, M. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. Guaíba: Agropecuária, 2002. 592p.

CHOI, Y. D. Theories for ecological restoration in changing environment: toward "futuristic" restoration. Ecological Research, v.19, n.1, p.75-81, 2004

FRANCO, F. S. Sistemas agroflorestais: uma contribuição para a conservação dos recursos naturais na Zona da Mata de Minas Gerais. 2000. 128f. Tese (Doutorado em Ciência Florestal) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, 2000.

LIMA, W. P 2003. Relações hidrológicas em matas ciliares. In: Henry, R. (Ed.). Ecótonos nas Interfaces dos Ecossistemas Aquáticos. São Carlos: Rima Editora, p. 301-302.

MARTINS, S. V. Recuperação de matas ciliares. Viçosa: Aprenda Fácil, 2007. 255p.

MARTINS, S. V. Recuperação de áreas degradadas: ações em Áreas de Preservação Permanente, voçorocas, taludes rodoviários e de mineração. Viçosa: Aprenda Fácil, 2009. 270p.

MAY.P.H et al. 2008. Mata Atlântica – aspectos econômicos – Brasil. 2. Economia florestal ago/2011 set/2011 out/2011 nov/2011 dez/2011 jan/2012 fev/2012 mar/2012 abr/2012 Diâmetro a altura do solo (mm) 0 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 Agrofloresta Convencional E dez/2010 jan/2011 fev/2011 mar/2011 abr/2011 mai/2011 jun/2011 jul/2011 ago/2011 set/2011 out/2011 nov/2011 dez/2011 jan/2012 fev/12 mar/12 abr/12 Diâmetro a altura do solo (mm) 0 3 6 9 12 15 18 21 24 27 30 33 36 39 42 45 Agrofloresta Convencional F experiências - Brasil. 3. Recursos florestais – políticas públicas – Brasil. I Ministério do Desenvolvimento Agrário, Secretaria de Agricultura Familiar.

MENDONÇA, E. S.; LEITE, L. F. C.; FERREIRA NETO, P. S. F. Cultivo do café em sistema agroflorestal: uma opção para recuperação de solos degradados. Revista Árvore, v.25, n.3, p.375-383, 2001.

PEREIRA, A.F.; CAMPELLO, E.F.C.; FRANCO, A.A.; RESENDE A.S.; Uso de leguminosas arbóreas fixadoras de nitrogênio na recuperação de áreas degradadas pela mineração de areia no polo produtor de Seropédica/ Itaguaí. Seropédica, EMBRAPA Agrobiologia, 2007. 31p. (Documentos, Embrapa Agrobiologia).

RODRIGUES, G. B.; MALTONI, K. L.; CASSIOLATO, A. M. R. Dinâmica da regeneração do subsolo de áreas degradadas dentro do bioma Cerrado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.11, n.1, p.73-80, 2007a. Desenvolvimento Sustentável Atualidades em 35 Recuperação de Áreas Degradadas

RODRIGUES, R. R.; MARTINS, S. V.; GANDOLFI, S. High diversity forest restoration in degraded areas: methods and projects in Brazil. New York: Science Publishers, 2007b. 286p.

SANCHEZ, P.A. Science in agroforestry. Agroforestry Systems, v.30, p.5-55, 1995.

TAVARES, S. R. L. Àreas degradadas: conceitos e caracterização do problema. In: TAVARES, S. R. L. Curso de recuperação de áreas degradadas: a visão da ciência do solo no contexto do diagnóstico, manejo, indicadores de monitoramento e estratégias de recuperação. Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2008. 228p EMBRAPA. Mudas Frutíferas. Disponível em: . Acesso em: 07 abril. 2017.

YOUNG, A. Agroforestry for soil management. 2nd ed. Nairobi: CAB Internacional, 1997. 320p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Keliane Paiva Da Silva