Dinâmica da mesofauna edáfica em áreas de Ombro e Meia encosta, na Serra da Caiçara, Semiárido Alagoano

Leila Caroline Salustiano Silva

Resumo


A mesofauna edáfica é constituída por organismos que vivem entre as camadas superficiais do solo e serapilheira, esses organismos são os principais responsáveis pela manutenção dos ecossistemas. Objetivou-se avaliar a dinâmica da mesofauna em áreas de Ombro e Meia Encosta, na Serra da Caiçara, Semiárido de Alagoas. A avaliação da mesofauna edáfica foi realizada em fevereiro e abril de 2016 em dois pontos do relevo (Ombro e Meia Encosta). Foram coletadas amostras de solo+serapilheira nas profundidades de 0-5 cm, inseridos na bateria de extratores Berlese-Tullgren modificada por 96 horas. Todos indivíduos entre 0,2 e 2,0 mm foram contados com o auxílio de lupa binocular e identificados ao nível de ordem taxonômica com chave de identificação. Os organismos foram avaliados quantitativamente pela abundância e qualitativamente pela diversidade, uniformidade e dominância utilizando os Índices de Diversidade de Shannon, Índice de Equabilidade de Pielou e o Índice de Dominância de Simpson. Foram realizadas medidas de temperatura do solo, determinação do conteúdo de água do solo a 10 cm de profundidade para análises de conteúdo de água e matéria orgânica. A maior riqueza e abundância dos grupos taxonômicos da mesofauna edáfica encontra-se na área de Ombro do relevo. O grupo Acarina é o mais dominante, nos dois locais do relevo avaliado, confirmado pelos índices de Shannon, Pielou e Simpson. As variavas temperatura do solo, conteúdo de água do solo influenciaram a dinâmica dos organismos da mesofauna edáfica.

Texto completo:

Arquivo Completo

Referências


M. A. X. Almeida, et al. Composição e sazonalidade da mesofauna do solo do semiárido paraibano. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável. 2013, 8, 4, 214-222.

Z. I. Antoniolli, et al. Metais pesados, agrotóxicos e combustíveis: efeito na população de colêmbolos no solo. Ciência Rural, 2013, 43, 6, 1-7.

F. A. L. Alves, et al. Caracterização da macro e mesofauna edáfica sobre um fragmento remanescente de “mata atlântica” em Areia-PB. Gaia Scientia. 2014, 8, 1, 384-391.

J. J. A. Alves, Biogeografia. Editora Fotograf, João Pessoa 2008.

K. D. Araujo, Análise da vegetação e organismos edáficos em áreas de caatinga sob pastejo e aspectos socioeconômicos e ambientes de São João do Cariri – PB. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2010.

K. D. Araujo, Influência da precipitação pluvial sobre a mesofauna invertebrada do solo em área de caatinga no semiárido da Paraíba. Revista Geoambiente On-line. 2009, 1, 12, 1-12.

D. Baretta, et al. Fauna edáfica e qualidade do solo. Revista Tópicos Ciência Solo, 2011, 7.

M. Begon, et al. Ecology: individuals, populations and communities. Blackwell Science, Oxford, 1996.

M. C. Berude, et al. A mesofauna do solo e sua importância como bioindicadora. Enciclopédia Biosfera. 2015, 11, 22, 14-28.

E. M. Costa, et al. Matéria orgânica do solo e o seu papel na manutenção e produtividade dos sistemas agrícolas. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, 2013, 9, 17, 1842-1860.

C. Costa, et al. E. Insetos imaturos: metamorfose e identificação. Ribeirão Preto, Holos Editora, Ribeirão Preto 2006.

Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias. EMBRAPA. Manual de análises químicas de solo, plantas e fertilizantes. Embrapa, Rio de Janeiro. 2009.

D. L. Gomes. Dinâmica dos organismos edáficos em ambiente de Toposequência, na Caatinga de Delmiro Gouveia –Alagoas. Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2014.

Governo do Estado de Alagoas. Secretaria de Estado do Planejamento e Desenvolvimento Econômico. Perfil Municipal. SEPLANDE/AL, Maceió 2014.

Instituto de Meio Ambiente de Alagoas. IMA. Dados vetoriais. Disponível em: http://www.ima.al.gov.br. Acesso em: 01 mai. 2014, 11:19:07.

L. F. Marion. Avaliação da qualidade do solo em propriedades agrícolas familiares em sistema de cultivo convencional e de bases ecológicas, Santa Cruz do Sul, RS, Brasil. Dissertação de Mestrado, Universidade de Santa Cruz do Sul, Santa Cruz do Sul, 2011.

MDA. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Plano territorial de desenvolvimento rural sustentável médio Sertão Alagoano. Governo Federal do Brasil, Maceió 2010.

L. E. Jacobs, et al. Diversidade da fauna edáfica em campo nativo, cultura de cobertura milho + feijão de porco sob plantio direto e solo descoberto in 31° Congresso Brasileiro de Ciência do Solo, Gramado, 2007, 1-4.

R. J. Kunde, et al. Avaliação da mesofauna edáfica (ácaros e colêmbolos) no processo de vermicompostagem. Cadernos de Agroecologia. 2013, 8, 2, 1-4.

R. J. Kunde, et al. In: REUNIÃO SUL-BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO, 2010. Santa Maria, Vol. 1, 2010. 1-5.

E. M. Oliveira; J. S. Souto, Mesofauna edáfica como indicadora de áreas degradadas. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 2011, 1, 6, 1-9.

E. P. Odum,; G. W. Barrett, Fundamentos de ecologia. Cengage Learning, São Paulo, 2008.

B. V. Paula, et al. Estudo da fauna edáfica em um Argissolo cultivado com mostarda. Cadernos de Agroecologia, 2013, 8, 2, 2236-7934.

G. R. Santos, et al. Invertebrados da macrofauna e mesofauna do solo em ambiente de caatinga arbóreo-arbustiva, em Santana do Ipanema, Semiárido Alagoano. Revista de Geografia Física do Nordeste. 2016, 2, especial, 894-903.

J. Silva, et al. Fauna do solo em sistemas de manejo com café. Journal of Biotechnology and Biodiversity. 2012, 3, 2, 59-71.

A. B. Silva, et al. In: Reunião brasileira de manejo e conservação do solo e da água, Teresina, Vol. 1, 2010, 1-4.

M. J. Tedesco, et al. Análises de solo, plantas e outros materiais. UFRGS, Porto Alegre, 1995.

C. A. Triplehorn; N. F. Johnson, Estudo dos insetos. Cengage Learning, São Paulo, 2011.

V. M. Ulig. Caracterização da mesofauna edáfica em áreas de regeneração natural da floresta Ombrófila densa submontana, no município de Antonina, Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Leila Caroline Salustiano Silva