Manejo integrado de pragas: Uma alternativa eficaz contra os impactos causados pelos agentes patógenos a diversas culturas.

carla renata alves rodrigues renata alves rodrigues

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo geral descrever os impactos causados pelos agentes patógenos a diversas culturas no Brasil e apontar o manejo integrado de pragas (MIP) como uma alternativa eficaz para problema. A revisão bibliográfica buscou informações relevantes sobre o (MIP) e especificamente a respeito dos métodos de controle de pragas. A pesquisa do tipo bibliográfico, descritivo e exploratório. O processo metodológico adotado buscou maximizar o conhecimento a respeito do manejo integrado de pragas (MIP) através da divulgação de tais informações. Eliminar essas pragas e impedir que cause grandes prejuízos é possível, para que isso ocorra o mais importante não é apenas o uso de defensivos agrícolas ou desenvolvimento de novas tecnologias de ponta, mas é importante também para defesa das lavouras que está relacionada ao manejo integrado de pragas. O uso em excesso de produtos agroquímicos de forma incorreta no meio rural acarreta muitas consequencias indesejadas às culturas, pois além de causar a poluição do meio ambiente, causa a eliminação dos inimigos naturais das pragas, causando assim a resistência das pragas a produtos que eram para combatê-los, O manejo integrado de pragas constitui uma filosofia de controle de pragas que tem como objetivo preservar e incrementar os fatores de mortalidade natural, através de técnicas de combate possíveis de serem realizadas, Portanto é de grande importância ter o controle de pragas e doenças na agricultura para que haja um equilíbrio no ecossistema e assim promover o desenvolvimento da agricultura sustentável. Isso é possível através de métodos de controle que minimiza os impactos ambientais, reduzindo o uso de agrotóxicos e pesticidas e com isso proporcionar menos custos aos produtores.


Texto completo:

Arquivo Completo

Referências


ARAUJO, W.L., et al. Manejo de pragas no controle de doenças no cultivo de hortícolas. Revista Verde, Pombal - PB, vol. 10, Nº 5, p. 43 - 50, 2015. Disponível em: . Acesso em: 28 de janeiro de 2017.

ALVINO, C.A., et al. Interferência e controle de plantas daninhas nas culturas agrícolas. Revista Cientifica Eletrônica de Agronomia – ISSN: 1677-0293. Garça/SP. 20 de Dez. de 2011 –Periódico Semestral. Disponível em . Acesso em: 20/01/2017.

BERSANI, B.C.G.; VIANA, E.S.; PEREIRA, M.J.B. Uso de feromonio sexual para uma agricultura sustentavel em areas amazonicas no estado de mato grosso. Cuiabá-MG,

Disponivel em Acesso em 28/01/2017.

BRECHELT, A. Manejo Ecológico de Pragas e Doenças. Fundação Agricultura e Meio Ambiente (FAMA) República Dominicana, Abril de 2004. Disponível em Acesso em 18/01/2017.

BERTI FILHO, E.; MOURA, R. G.; PERES FILHO, O. Controle biológico de insetos em florestas. In:. PINTO, A. S.; NAVA, D. E.; ROSSI, M. M.; MALERBO-SOUZA, D. T. (Ed.). Controle biológico de pragas na prática. Piracicaba: CP 2. 2006. p. 153-192.

BARBOSA. B.C., controle quimico de pragas.

Disponivel em

quimico-de-pragas> Acesso 20/01/2017.

CRUZ, I.; VIANA, P.A.; WAQUIL, J.M. Manejo das pragas iniciais de milho mediante ao tratamento de sementes com inseticidas sistêmicos. Sete Lagoas: EMBRAPA-CNPMS, 1998. Disponível em Acesso em 20/01/2017.

DIAMANTINO, E.P., et al. Seletividade de inseticidas a alguns dos inimigos naturais na cultura do algodão. São Paulo. Arq. Inst. Biol., v.81, n2, p. 150-158, 2014. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/aib/v81n2/1808-1657-aib-81-02-00150.pdf> Acesso em 23/01/2017.

ESTRUCH, J.J., et al. Trangenic plants: na emerging approach to pest control. Nature biotechnolohy, New York, v.15, p.137-141, 1997.

FILHO, M.F.DE S.; COSTA, V.A.; PAZINI, W.C.

Manejo integrado de pragas na cultura da manga.

Disponível

em>http;//WWW.nutriçãodeplantas.agr.br./site/ensino/pos/P

alestras_Willian/Livromanga_pdf/11_pragas.pdf>. Acesso

/01/2017.

FERNANDES; ODAIR A. Manejo Integrado de Pragas e Nematóides por Odair Ap. Fernandes, Antônia do Carmo

B. Corrêa e Sergio Antonio Bortoli. Jaboticabal- SP.

FUNEP, 1992. V.2, 352 p.

MACHADO, L.A.; SILVA, V.B.; OLIVEIRA, M.M. Uso de extratos vegetais no controle de pragas em horticultura.Biológico, São Paulo, v.69, n.2, p.103-106, jul de dez., 2007. Disponível em Acesso em 25/01/2017.

MARSARO, A.L.J., et al. Manejo integrado de pragas agricolas. Notas de aula de ban- 360 Antomologia

Agricola. Viçosa, MG. sd. Disponivel em Acesso em 29/01/2017.

GALLO et al. 1988 apud OLIVEIRA, A.M., et al.

Controle biológico de pragas em cultivos comerciais como alternativa ao uso de agrotóxico. Revista Verde, Mossoró – RN – Brasil, v.1, n.2, p.01-09 de julho/dezembro de 2006. Disponível em Acesso em 28/01/2017.

PEREIRA, R.B.; PINHEIRO, J.B. Manejo integrado de

doenças em hortaliças em cultivo orgânico. Brasília, DF.

Out, 2012. Disponível em Acesso em 28/01/2017.

VILELA; FERREIRA, E. Feromônios de insetos, biologia, química e emprego no manejo de pragas. Viçosa, UFV, impr. Univ., 1987.

ZANETTI, R. Conceitos básicos do manejo integrado de pragas. Lavras, MG. sd. Disponível em

Acesso em 22/01/2017.

PARRA, J.R.P.; ZUCCHI, R.A. Trichogramma e o controle biológico aplicado. Piracicaba: Fealq. 324p. 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 carla renata alves rodrigues renata alves rodrigues