Qualidade pós-colheita de duas variedades de tomates

Jessica Marcy Silva Melo Santos, Salustiano Neto Figueiredo, Victor Callegari Ramos, Samuel Farias Santana, Rozane Mirelle Soares Cerqueira, João Manoel da Silva, Luis Fernando Ganassali de Oliveira Junior, Maria Iderlane de Freitas

Resumo


O tomate (Solanum lycopersicum L) é uma hortaliça de grande importância econômica mundialmente. Devido às suas características físicas os frutos são altamente perecíveis e necessitam de manuseios adequados no momento de colheita e pós-colheita. Objetivou-se avaliar a qualidade pós-colheita de duas variedades comercializadas em supermercados de Aracaju, SE. Foram coletados frutos de tomate no estádio de maturação verde maduro. As amostras  foram submetidas às seguintes análises: Peso; Teste de firmeza (N); Colorimetria (L*a*b*); determinação de pH; teor de sólidos solúveis totais (°Brix) e acidez titulável total (ATT). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com dois tratamentos e quatro repetições, em esquema de parcelas subdivididas no tempo. Os dados coletados foram submetidos à análise de variância pelo teste de Tukey (p≤0,05). Foram detectadas diferenças coloriméticas entre as duas variedades, característica que mostrou a variedade Industrial a mais estável. Para a firmeza (N), a variedade Industrial mostrou menores oscilações que a de mesa, como também menor pré-disposição para a perda de massa fresca. Para o pH e ATT foram detectadas poucas diferenças entre os tratamentos. Diante dos dados, a viariedade Industrial apresentou características que a descrevem com maior qualidade pós-colheita em comparação à de mesa.

Texto completo:

PDF

Referências


Association of Official Analytical Chemists. Official Methods of Analysis of the Association os Official Analytical Chemists. v. 2, ed. 15, Washington, 1990.

CHITARRA, M. I. F.; CHITARRA, A. B. Pós-colheita de frutas e hortaliças: fisiologia e manuseio. 2. ed. Lavras: Universidade Federal de Lavras, 2005. 783 p.

DAMASCENO, S.; OLIVEIRA, P. V. S.; MORO, E.; MACEDO JUNIOR, E. K.; LOPES, M. C.; VICENTINI, N. M. Efeito da aplicação de película de fécula de mandioca na conservação pós-colheita de tomate. Ciência e Tecnologia de Alimentos. v. 23, p. 377-380, 2003.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a Guide for its Bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência e Agrotecnologia, Lavras. v. 38, n. 2, pp. 109-112, 2014.

FERREIRA, S. M. R.; FREITAS, R. J. S. de; LAZZARI, E. N. Defeitos do tomate(Lycopersicon esculentum Mill.) de mesa. Revista Higiene Alimentar, São Paulo, v. 17, n. 107, p. 34-42, 2003.

FERREIRA, S.M. R.; FREITAS, R. J. S.; KARKLE, E. N. L.; QUADROS, D. A.; TULLIO, L. M.; LIMA, J. J. Qualidade do tomate de mesa cultivado nos sistemas convencional e orgânico. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas , v. 30, n. 1, p. 224-230, mar. 2010a.

FERREIRA, S.M. R.; QUADROS, D. A.; KARKLE, E. N. L.; LIMA, J. J.; TULLIO, L. M.; FREITAS, R. J. S. Qualidade pós-colheita do tomate de mesa convencional e orgânico. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas , v. 30, n. 4, p. 858-869, dez. 2010b.

FONTENELE, M. A.; FIGUEIREDO, R. W. DE; MAIA, G. A.; ALVES, R. E.; SOUSA, P. H. M. DE; SOUZA, V. A. B. DE; Conservação pós-colheita de bacuri (Platonia insignis Mart.) sob refrigeração e embalado em PVC, Revista Ceres, Viçosa. v. 57, n.3, p. 292-296, mai/jun, 2010.

FONTES, P. C. R.; LOURES, J. L.; GALVÃO, J. C.; CARDOSO, A. A.; MANTOVANI, E. C. Produção e qualidade do tomate produzido em substrato, no campo e em ambiente protegido. Horticultura Brasileira, Brasília, v.22, n.3, p. 614-619, jul-set 2004.

LANA, M. M. et al. Identificação das causas de perdas pós colheita de tomate no varejo em Brasília-DF. Brasília: Embrapa Hortaliças, 2006. 25 p. (Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 16). Disponível em: < https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CNPH-2009/34412/1/bpd_16.pdf> Acesso em: 19 de setembro de 2017.

PEISINO, F. M.; PEREIRA, L. L.; CARDOSO, W. S.; CATEN, C. S.; COSTA, R. G.; BUSATO, T.; PIMENTA, L. H. B.; BRIOSCHI, D.; VENTURIN, B. Caracterização e avaliação de ph, acidez titulável e extrato aquoso de cafés finos por estratos de altitude, IX Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, 24 a 26 de junho de 2015, Curitiba – PR. Disponível em: Acesso em: 19 de setembro de 2017.

PEIXOTO, N.; MENDONÇA, J. L. ; SILVA, J. B. C.; BARBEDO, A. S. C. Rendimento de cultivares de tomate industrial para processamento em Goiás. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 17, n. 1, p. 54-57. 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Jessica Marcy Silva Melo Santos, Salustiano Neto Figueiredo, Victor Callegari Ramos, Samuel Farias Santana, Rozane Mirelle Soares Cerqueira, João Manoel da Silva, Luis Fernando Ganassali de Oliveira Junior, Maria Iderlane de Freitas