efeito alelopático de bathysa cuspidata sobre a germinação e desenvolvimento de sementes alface e tomate

Edjane Pires

Resumo


Substâncias alelopáticas são liberadas pelas plantas ou microrganismos no ambiente e causam efeitos benéficos ou deletérios sobre outras plantas ou microrganismos. Estudos com aleloquimicos tem crescido nos últimos anos devido ao já conhecido uso exacerbado em nosso pais de agroquímicos, incluindo os herbicidas. Neste contexto o presente trabalho teve como objetivo avaliar o potencial alelopático de extratos aquosos da casca do caule de Bathysa cuspidata sobre as sementes de alface e tomate. Para isso, foram testadas quatro concentrações do extrato aquoso da casca (25%, 50%, 75% e 100%) além do controle (água). O experimento foi instalado em delineamento inteiramente casualizado com cinco tratamentos (concentrações) e três repetições. Um relevante potencial alelopático de B. cuspidate foi observado especialmente, na concentração 100% frente a sementes de tomate.


Texto completo:

PDF

Referências


BORGHETTI, F.; FERREIRA, A. G. Interpretação de resultados de germinação. In: FERREIRA, A. G.; BORGHETTI, F. (Org.). Germinação: do básico ao aplicado. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 324.

MIRANDA, Victor Peçanha De C. Anatomia do caule (casca e lenho), da folha e coléter de bathysa cuspidata (st. hil.) hook. f. (rubiaceae). Tese de Doutorado, Universidade Federal de Viçosa, MG, 2009.

FERREIRA, A. G., AQUILA, M. E. A. 2000. Alelopatia: uma área emerAlelopatia: uma área emeria: uma área emergente da ecofisiologia. Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal, 12: 175204.

GATTI, ANA BEATRIZ et al. Atividade alelopática de extratos aquosos de Aristolochia esperanzae O. Kuntze na germinação e no crescimento de Lactuca sativa L. e Raphanus sativus L. Allelopathic activity of aqueous extracts of Aristolochia esperanzae O. Kuntze in the germination and growth of Lactuca sativa L. and Raphanus sativus L. Acta Botanica Brasilica, v. 18, n. 3, p. 459-472, 2004

MARASCHIN-SILVA, Fabiana; AQUILA, M. E. A. Potencial alelopático de espécies nativas na germinação e crescimento inicial de Lactuca sativa L.(Asteraceae). Acta Botanica Brasilica, v. 20, n. 1, p. 61-69, 2006.

RODRIGUES, I. M. C.; SOUZA FILHO, A. P. S.; FERREIRA, F. A. Estudo fitoquímico de Senna alata por duas metodologias. Embrapa Amazônia Oriental-Artigo em periódico indexado (ALICE), 2009.

SOLTYS, D. et al. Allelochemicals as Bioherbicides — Present and Perspectives. Chapter 20. Herbicides - Current Research and Case Studies in Use LIVRO 2013

MEDEIROS, A. R. M. Alelopatia: importância e suas aplicações. Horti Sul, v. 1, n. 3, p. 27-32, 1990.

YOUNG, B. J. et al. Toxicity of the effluent from an anaerobic bioreactor treating cereal residues on Lactuca sativa. Ecotoxicology and Environmental Safety, n.76, p.182-186, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Edjane Pires