Influência do número de gemas na microenxertia in vitro de pinha sobre porta-enxertos de araticum-do-brejo (Annona glabra L.)

Alessandra Silva Araújo, Cibele Merched Gallo, Eurico Eduardo Pinto Lemos, Leila de Paula Rezende

Resumo


A grande diversidade da flora brasileira, sobretudo de suas espécies frutíferas, tem sido negligenciada pela pesquisa científica no Brasil. Mesmo com todo potencial comercial e bioquímico que tais fruteiras apresentam, ainda não há estudos suficientes que possam indicar aos produtores os melhores materiais. Além disso, poucos também são os estudos sobre o manejo agrícola que aumente a produção e melhore a qualidade dos frutos. Este trabalho teve como objetivo fixar, através da microenxertia e enxertia precoce genótipos de pinha (Annona squamosa L.) sobre porta-enxertos de araticum-do-brejo (Annona glabra L.). O experimento foi conduzido no Centro de Ciências Agrárias, da UFAL onde os enxertos de pinha sobre os porta enxertos de Araticum-do-brejo receberam os seguintes tratamentos: 1 gema apical + 2 laterais (T1), 2 gemas laterais (T2), 1 gema lateral (T3). Após 30 dias, o T2 apresentou a maior porcentagem de cicatrização (93,33%).  Para a variável presença de brotação, o T1 e T3 apresentaram as porcentagens de 20,00% e 33,33% respectivamente. Aos 60 dias, o T2 apresentou o melhor resultado em relação a presença de brotação, com 66,67%. Conclui-se que o tratamento com 2 gemas laterais (T2) é o recomendado para microenxertia in vitro nas espécies testadas.

Palavras-chave


Enxertia; frutíferas; anonáceas;

Texto completo:

PDF

Referências


SILVA JUNIOR, J. F.; BEZERRA, J. E. F.; LEDERMAN, I. E. Recursos genéticos e melhoramento de fruteiras nativas e exóticas em Pernambuco. In: Queiróz, M. A; Goedert, C. O; Ramos, S. R. R; (Org.). Recursos genéticos e melhoramento de plantas para o Nordeste Brasileiro Embrapa Semi-Árido/ Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 1999, v. , p.22-45.

SANTOS, L. L. C. Avaliação do crescimento de mudas de araticum-do-brejo (Annona glabra L.) e graviola (A. muricata L.) submetidas à inundação sob diferentes concentrações de água salina. Dissertação de Mestrado, CECA-UFAL, 2017, 147p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Alessandra Silva Araújo, Cibele Merched Gallo, Eurico Eduardo Pinto Lemos, Leila de Paula Rezende