Avaliação da percepção ambiental em uma amostra de escolares no município de Nova Palmeira- PB

Antonia Érica da Silva Santos, Viviane Sousa Rocha, Karla Patrícia de Oliveira Luna

Resumo


A educação ambiental é uma importante ferramenta para reverter e inibir a ocorrência de atitudes que geram impactos negativos causados ao ambiente, pois sua finalidade é educar e conscientizar as pessoas e assim promover um ambiente ecologicamente equilibrado que possa oferecer qualidade de vida para toda sociedade. A presente pesquisa tem caráter descritivo com abordagem quantitativa e teve como objetivo analisar a percepção ambiental de 29 estudantes do Ensino fundamental, através de um questionário semiestruturado aplicado na escola pública municipal Iran Coelho Dantas, localizada no Município de Nova Palmeira– PB. A importância de estudar Educação Ambiental nas escolas de modo interdisciplinar se dá a partir da disseminação do conhecimento, onde o aluno consciente e sensibilizado age como uma ponte entre a escola e a comunidade se tornando uma importante ferramenta de transformação. A maior parte dos alunos entrevistados no presente trabalho considerou o estudo da Educação Ambiental como relevante e todos reconhecem a importância da preservação ambiental. Em relação à destinação correta do lixo percebe-se que a maioria dos entrevistados tem consciência do local adequado de descarte dos resíduos, porém possuem uma visão equivocada no que se refere ao conceito de meio ambiente. Atitudes voltadas para a preservação e conservação são inicialmente possíveis a partir da percepção da integração entre o homem e o ambiente, garantindo assim um ambiente ecologicamente equilibrado e consequente melhoria na qualidade de vida.


Palavras-chave


Educação ambiental; protagonismo ambiental; meio ambiente.

Texto completo:

PDF

Referências


BARRETO, A. D. A. A questão da informação. Revista São Paulo em Perspectiva, Fundação Seade, São Paulo 1994.

BRASIL. Constituição Federal 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BEZERRA, Y. B. S.; PEREIRA, F. S. P.; SILVA, A. K. P.; MENDES, D. G. P. S. Análise da Percepção Ambiental de Estudantes do Ensino Fundamental II em uma Escola do Município de Serra Talhada (PE). Editora Revbea,v. 9, São Paulo, 2014.

DIAS, G. F. Educação Ambiental: Princípios e Práticas. 9° ed. São Paulo: Gaia, 2004.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social; 5ª ed. Editora Atlas, Campos Elísios, São Paulo, 2002.

KINDELL, E. A. I; FABIANO, W. D. S ; MICAELA, Y. Educação Ambiental: Vários Olhares e Várias Práticas. 2ª ed. Curitiba-PR. Mediação, 2006.

JACOBI, P. Educação Ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 233-250, maio/ago. 2005.

JACOBI, P. Impactos sócio-ambientais urbanos na região metropolitana de São Paulo. Revista Veracidade. São Paulo, 2006.

MARCWISK, M. Avaliação da percepção ambiental em uma população de estudantes do ensino fundamental de uma escola municipal rural: um estudo de caso. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Biociências, Programa de Pós-graduação em Ecologia (Dissertação: mestrado), 2006. 185p. Il.

MEIRELLES, M. D. S.; SANTOS, M. T. Educação Ambiental uma Construção Participativa. 2ª ed. São Paulo, 2005.

NEVES, E.; Tostes, A. Meio Ambiente, a Lei em suas mãos. Petrópolis: Vozes, 1992.

NÓBREGA, M. D. S.; FETTER, R.; GERMANOS, E.; GOMES, M. R.; HENKE-OLIVEIRA, C.; SAITO, C. H. Reelaboração de portfólios para análise de conflitos socioambientais locais baseado no material didático do PROBIO-EA. In: REUNIÃO BIENAL DA RED-POP, 2006.

SAUVÉ, L. Uma cartografia das correntes em Educação Ambiental. In: SATO, Michèle; CARVALHO, Isabel C. Moura (Orgs.). Educação Ambiental. Porto Alegre: Artmed, 2005, p.17-44.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Craibeiras de Agroecologia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.