Macrofauna invertebrada no compartimento solo, em Maceió, Alagoas

Renato Wilian Santos de Lima, Delane dos Santos Dias, Carlos Augusto Rocha da Silva, Kallianna Dantas Araújo

Resumo


A macrofauna é representada por organismos ≥ 2,0 mm, esses organismos são conhecidos como engenheiros do solo, sendo responsáveis pela decomposição de matéria orgânica, dispersão de sementes e controle biológico, além de serem considerados indicadores da qualidade do solo Objetivou-se avaliar a macrofauna no compartimento solo em três ambientes alterado, em transição e conservado, em Maceió, Alagoas. A coleta foi realizada em 10 pontos utilizando armadilhas Provid que permaneceram no campo por 96 horas. Os organismos foram identificados a nível de grupo. Foram avaliados a abundância, riqueza, diversidade e uniformidade pelos índices de Shannon e Pielou. O ambiente conservado apresentou maior riqueza e abundância da macrofauna do solo, devido a maior disponibilidade de alimentos para os organismos que o circunda. A família Formicidae é a mais abundante nos ambientes transição e alterado, comprovados pelos baixos valores dos índices de Shannon e Pielou. Já no ambiente conservado, o grupo Diptera foi o mais abundante conforme os baixos valores dos índices ecológicos. No ambiente em transição e alterado o grupo funcional Insetos Sociais foi maior. Já no ambiente conservado os Fitófagos foram encontrados em maior número.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, K. D. Análise da vegetação e organismos edáficos em áreas de caatinga sob pastejo e aspectos socioeconômicos e ambientes de São João do Cariri – PB. 2010. 166 f. Tese (Doutorado em Recursos Naturais)-Centro de Tecnologia e Recursos Naturais, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2010.

ASSAD, M. L. L. Fauna do solo. In: VARGAS, M. A. T.; HUNGRIA, M., (Eds)

Biologia dos solos dos cerrados. 1. ed. Planaltina: EMBRAPA-CPAC, 1977. p. 363-443.

CORREIA, M. E. F. et al. Organização da comunidade de macroartrópodos edáficos em plantios de eucalipto e leguminosas arbóreas. IN: XXV CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 25, 1995. Viçosa. Anais... Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1995. p. 442-444.

GIRACCA, E. M. N. et al. Levantamento da meso e macrofauna do solo na microbacia de Arroio Lino, Agudo/RS. Revista Brasileira de Agrociência, Pelotas, v. 9, n. 3, p. 257-261, jul/set. 2003.

GONÇALVES, L.; DIAS, A.; ESPÍNDOLA, C. B.; ALMEIDA, F. S. Inventário de Calliphoridae em manguezal e fragmento de Mata Atlântica. Revista brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 9, n. 1, p. 50-55, jan./mar. 2011.

INMET-INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA. Normais Climatológicas do Brasil 1981-2010. Disponível em: www.inmet.gov.br. Acesso em: 10 de mar. 2019. 18:57:00.

LUTINSKI, J. A.; LUTINSKI, C. J.; LOPES, B. C.; MORAIS, A. B. B. Estrutura da comunidade de formigas (Hymenoptera: Formicidae) em quatro ambientes com diferentes níveis de perturbação antrópica. Ecología Austral. Vol. 24, p.1-13, 2014.

SANTOS, C. E. S.; MORAES, T. A. de; PEREIRA, J. de M.; BARETTA, D.; TONELLI, M.; SILVA, D. C. da. Densidade de grupos da macrofauna do solo em áreas de mata e pastagem no sul de Minas Gerais. In: 3º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS. 6, 2014, Pouso Alegre – MG. Anais... 6ª Jornada Científica e Tecnológica, 2014, p. 1-6.

SPERBER, C. F.; VIEIRA, G. H.; MENDES, M. H. Improving litter cricket (Orthoptera: Gryllidae) sampling with pitfall traps. Neotropical Entomology, Londrina, v. 32, n. 4, p. 733-735, out./dez. 2003.

SWIFT, M. J.; HEAL, O. W.; ANDERSON, J. M. Decomposition in terrestrial ecosystems. Studies in ecology, v.5. Blackwell Scientific, Oxford, 1979. 238 p.

TRIPLEHORN, C. A.; JONNSON, N. F. Estudo dos insetos. 1. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2011. 809 p.

WIKIPARQUES. Parque Municipal de Maceió. Acesso em http://www.wikiparques.org. Disponível em: 25 de mar. 2018. 12:50:00.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Revista Craibeiras de Agroecologia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.