DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO MICROBIOLÓGICA DE SMOOTHIES SABOR UVA (Vitis vinífera) ADICONADO COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE SORO DE QUEIJO CAPRINO

Fabiana Beltrao

Resumo


O soro de queijo de leite de cabra é um subproduto disponível a custo zero que
apresenta amplas possibilidades de utilização na alimentação com aproveitamento das
proteínas. O objetivo deste trabalho foi a elaboração e caracterização microbiológica de
Smoothies aromatizados com uva à base de diferentes concentrações de soro de queijo
coalho de cabra. Sendo elaborado e analisado no Laboratório de Pesquisa e
Desenvolvimento de Produtos Laticínios – PDLAT e Laboratório de Microbiologia,
ambos da Universidade Federal da Paraíba - UFPB – Campus III – Bananeiras PB.
Desta forma, o desenvolvimento de Smoothies à base de soro de queijo caprino
apresenta-se dentro da legislação para parâmetros microbiológicos. A uva utilizada para
aromatizar os Smoothies com diferentes conteúdos de soro, além de agregar valor
nutritivo ao produto e ser uma alternativa de aproveitamento de resíduo de
agroindústrias.

Texto completo:

PDF

Referências


APHA. Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater.

American Public Health Association. American Water Works Association, Water

Environmental Federation, 18th ed. Washington, DC 2004.

ARAÚJO, N. G.; BARBOSA, F. F. BEBIDA LÁCTEA COM LEITE CAPRINO E

SORO CAPRINO É ALTERNATIVA PARA APROVEITAMENTO DA POLPA DE

UMBU. Revista do Instituto de Laticínios Cândido Tostes, [s.l.], v. 70, n. 2, p.85-96,

set. 2015. Lepidus Tecnologia. http://dx.doi.org/10.14295/2238-6416.v70i2.393.

BHARDWAJ, R. L.; PANDEY, S. Juice Blends - A Way of Utilization of

UnderUtilized Fruits, Vegetables, and Spices: A Review. Critical Reviews in Food

Science and Nutrition, v. 51, n. 6, p. 563–570, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução –

RDC no 12, de 2 de janeiro de 2001. Dispõe sobre Regulamento Técnico sobre Padrões

Microbiológicos para Alimentos. Brasília: Diário Oficial da União, jan. 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução

RDC no 275, de 21 de outubro de 2002 Regulamento Técnico de Procedimentos

Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos

Produtores/Industrializadores de Alimentos e a Lista de Verificação das Boas Práticas

de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimento. Diário

Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 21 out 2002.

CASTANHEIRA, A. C. G. Manual Básico: Controle de Qualidade de Leite e

Derivados. Cap Lab, São Paulo, 2012.

GIROTO, G. M.; PAWLOWSKY, U. O soro de leite e as alternativas para o seu

beneficiamento. Brasil Alimentos, n. 10, set./ out., 2001.

LEITE, M. T.; BARROZO, M. A. S.; RIBEIRO, E. J. Canonical Analysis Technique as

an Approach to Determine Optimal Conditions for Lactic Acid Production

byLactobacillus helveticusATCC 15009. International Journal Of Chemical

Engineering, [s.l.], v. 2012, p.1-9, 2012. Hindawi Limited.

http://dx.doi.org/10.1155/2012/303874.

LIMA, F. R.; ROCHA, L. O. F. APROVEITAMENTO DO SORO DE LEITE

PROVENIENTE DA PRODUÇÃO DO QUEIJO DO SERRO PARA FABRICAÇÃO

DE DOCE DE LEITE: VIABILIDADE ECONÔMICA. Revista do Instituto de

Laticínios Cândido Tostes, [s.l.], v. 71, n. 2, p.83-91, 7 jun. 2016. Lepidus Tecnologia.

http://dx.doi.org/10.14295/2238-6416.v71i2.526.

NUNES, M. A.; COSTA, A. S. G.; BARREIRA, J. C. M.; VINHA, A. F.; ALVES, R.

C.; ROCHA, A.; OLIVEIRA, M. B. P. P. How functional foods endure throughout the

shelf storage? Effects of packing materials and formulation on the quality parameters

and bioactivity of smoothies. LWT - Food Science and Technology, v. 65, p. 70–78,

REIS, D. L. dos. Qualidade e inocuidade microbiológica de derivados lácteos

fermentados produzidos no Distrito Federal, Brasil. 2013. 65 f. Dissertação (Mestrado

em Saúde Animal) - Universidade de Brasília, Brasília, 2013. Disponível em:

.

Acesso em: 13 junho. 2018.

RIBEIRO, L. O. Desenvolvimento de smoothie de juçara, banana e morango: processos

de conservação e estudo da bioacessibilidade dos compostos fenólicos. Rio de Janeiro,

Tese (Doutorado em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos) –

Escola de Química, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Craibeiras de Agroecologia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.