O CULTIVO DA PALMA FORRAGEIRA E CAPACIDADE DE SUPORTE NO CARIRI OCIDENTAL DA PARAÍBA

Suedson de Araújo

Resumo


A palma forrageira com a representatividade dos gêneros Opuntia e Nopalea sempre foi
considerado o refrigério dos rebanhos nos meses secos do ano e nas grandes estiagens.
Á dizimação dos campos de Opuntia ficus-indica pela Cochonilha do Carmim
Dactylopius opuntiae que vem ocorrendo há mais de quinze anos no Cariri Ocidental da
Paraíba vem sendo utilizada estratégia de replantio de áreas com variedades resistentes
como a Orelha de Elefante Mexicana Opuntia stricta, Doce ou Miúda Nopalea
cochenllifera e Baiana, Sertânia ou Mão de Moça Nopalea sp. Para avaliar o efeito deste
replantio no âmbito da região se recorreu aos dados do IBGE referentes ao Censo
Agropecuário 2017, Lavoura Temporária, Palma Forrageira e as variáveis: Número de
estabelecimentos agropecuários, quantidade produzida e área colhida, para formação de
uma banco de dados que permitisse um melhor diagnóstico e a eleição de
recomendações para uma melhor planejamento e gestão da cultura. Com exceção de
municípios como Ouro Velho e Monteiro que apresentam número significativo de
estabelecimentos que plantam, de Monteiro que apresenta número significativo de área
colhida e de Taperoá que apresenta número significativo de produção por área, os
demais municípios encontram-se muito aquém do que poderia se considerar uma
capacidade de suporte realmente eficaz para convivência com os meses secos que
ocorrem a cada ano e os períodos secos que ultrapassam muitas vezes vários anos
seguidos. Sem desconsiderar o fato que é regra para ambientes semiáridos que a
capacidade de suporte seja multiplicada por três para um melhor forrageamento de
rebanhos.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, J. S.; SANTOS, A. P. S. dos; LIMA, W. B. de; VIEIRA, M. F.; FREITAS,

J. B. T. de; LIMA, M. C. de S. Relatório da Oficina Estratégica de Segurança

Forrageira no Semiárido em 29 e 29 de abril de 2016. INSA-Campina Grande. 2016.

p.il.

BNB. Agenda do Produtor Rural 2003. BNB Gráfica Banco do Nordeste - Fortaleza:.

304 p. il.

IBGE. Censo Agropecuário 2017. Disponível em

https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pb//pesquisa/24/76693. Acessado em 15 de setembro

de 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Craibeiras de Agroecologia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.