O USO DE HIDROGEL PROMOVE MAIOR SOBREVIVÊNCIA DO CAJUEIRO ANÃO PRECOCE ADUBADO COM FARINHA DE OSSOS?

Jose Eldo Costa

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a sobrevivência de plantas de cajueiro anão precoce
(Anacardium occidentale L.) sob a influência da adubação de fundação com farinha de
ossos (FO) na presença e ausência do polímero hidroretentor (hidrogel) no plantio, em
sistema de sequeiro. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos ao acaso, em
arranjo fatorial 5x2, com cinco doses de FO (0, 250, 500, 750 e 1000 g planta-1
) e duas

concentrações de hidrogel (0 e 5g L-1
planta-1
), com quatro repetições e quatro plantas
por parcela. O hidrogel foi hidratado 30 minutos antes do plantio das mudas. Uma
distância fixa de 10x10 m foi usada para o espaçamento entre linhas e plantas. Aos 12
meses após o plantio, as plantas foram avaliadas quanto ao percentual de sobrevivência
(S%). O percentual médio de sobrevivência das plantas sem o uso do hidrogel foi
decrescente na seguinte ordem: 1000g planta-1

de FO (33%), 750g planta-1
de FO

(58%), 500 g planta-1

de FO (67%), 250 g planta-1

de FO (72%), 0 g planta-1
de FO
(75%). Quando submetidos ao uso do hidrogel os percentuais de sobrevivência se
assemelharam nas menores doses de farinha de ossos, com o tratamento sem FO
obtendo 98% de sobrevivência das plantas. Assim, o hidrogel no plantio promove o
maior percentual de sobrevivência das plantas, indicando a viabilidade do uso do
polímero hidroretentor em cajueiro anão precoce.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, J. P. P. Agronegócio caju: Práticas e inovações. Brasília, DF: Embrapa

Informação Tecnológica, 532p. 2013.

FERREIRA, D. C. C.; BRAGA, G. M. S.; MOURA, J. A.; VIANA, J. B.; GONDIM

NETO, L. A Importância do caju no Ceará e seus subprodutos. Encontros

Universitários da UFC, v. 1, n. 1, p. 4183-4195, 2016.

HASEGAWA, P. M.; BRESSAN, R. A.; ZHU, J. K.; BOHNERT, H. J. Plant cellular

and molecular responses to high salinity. Annual Review of Plant Physiology and

Plant Molecular Biology, v. 51, p. 463-499, 2000.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Levantamento Sistemático da

Produção Agrícola: Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras

agrícolas no ano civil (v. 25, n. 2, p. 45). Rio de Janeiro, RJ: Fundação Instituto

Brasileiro de Geografia e Estatística, 2016.

IDEMA – Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente do RN. (2008).

Perfil do seu Município – Boa Saúde. Disponível em: http://www.idema.rn.gov.br.

Acessado em: 15 de Setembro de 2019.

SERRANO, L. A. L.; PESSOA, P. F. A. P. (2016). Sistema de produção do caju.

Disponível em: https://www.spo.cnptia.embrapa.br/. Acessado em: 17 de Setembro de

SOUSA, A. B. O.; BEZERRA, M. A.; LIMA, R. E. M. Mudas de cajueiro anão precoce

(CCP 06) submetidas ao estresse salino e ao acúmulo de sódio e potássio. In: Embrapa

Agroindústria Tropical-Artigo em anais de congresso (ALICE). In: CONGRESSO

BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 21., 2010, Natal. Anais... Natal: Sociedade

Brasileira de Fruticultura, 2010.,. 2011.

TAIZ, L.; ZEIGER, E.; MOLLER, I. M.; MURPHY, A. (Eds.). Fisiologia e

desenvolvimento vegetal (6 ed.). Porto Alegre, RS: Artmed, 2017.

TORRES, E. C. M.; FREIRE, J. L. O.; OLIVEIRA, J. L.; BANDEIRA, L. B.; MELO,

D. A.; SILVA, A. L. Biometria de mudas de cajueiro anão irrigadas com águas salinas e

uso de atenuadores do estresse salino. Nativa, v. 02, n. 02, p. 71-78, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista Craibeiras de Agroecologia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.