FRATURA EM MANDÍBULA ATRÓFICA: RELATO DE CASO CLÍNICO

Luiz Henrique Lima Albuquerque, Ricardo Viana Bessa Nogueira, José Ricardo Mikami, Marcus Antônio Júnior Brêda, Marcella Georgia Silva Barbosa

Resumo


As fraturas em mandíbulas atróficas compreendem um grau de complexidade um tanto quanto elevado. Por envolverem normalmente pacientes idosos ou com perda dentária precoce, muita das vezes é viável recorrer a tratamentos mais complexos, visto que, esses pacientes apresentam diminuição do volume mandibular, aumento da porção cortical, seguido de uma vascularização deficiente, tornando desfavorável o processo de osteogênese. As formas de tratamento visam a imobilização e redução da fratura. O tratamento conservador (fixação intermaxilar) geralmente é descartado, uma vez que, a falta de dentes atrapalha na sua conjectura. Portanto, a redução aberta e fixação por placas e parafusos têm sido o tratamento de escolha na prática cirúrgica, concedendo um prognóstico favorável com redução satisfatória da fratura. O relato deste trabalho visa expor o caso de paciente do gênero masculino, 40 anos, vítima de ferimento por arma de fogo em região mandibular (corpo). Foi utilizada placa de reconstrução tipo Locking, perfil 2,0mm. O paciente encontra-se sob acompanhamento pós-operatório sem complicações e com restabelecimento funcional do sistema mastigatório. A fixação interna com placas e parafusos é considerada uma forma efetiva e confiável para o tratamento de redução de fraturas em mandíbulas atróficas.


Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.