IMPORTÂNCIA DE EXAMES RADIOGRÁFICOS NO PLANEJAMENTO PROTÉTICO: RELATO DE CASO

Thiago Barros Português Silva, Lísia Fernanda de Sá Ferreira, Marília Pereira de Jesus, Daniel Victor Soares, José Lécio Machado

Resumo


No Brasil a perda de dentes, com o passar dos anos, ainda é vista como natural apesar de saber que não se trata de um processo fisiológico, mas principalmente resultado patológico da cárie e das doenças periodontais. A mudança no perfil populacional brasileiro, onde é perceptível um aumento da expectativa de vida e, por conseguinte o aumento da necessidade de reabilitação oral, sendo constatado da análise da SB Brasil 2010, que na faixa entre 65-74 anos apenas 7,3% desses indivíduos não necessitam de próteses dentais. O cirurgião dentista deve estar capacitado para realizar planejamento adequado para que a execução e instalação das próteses dentárias sejam feitas de maneira correta, apesar de ocasionalmente esse trabalho ser executado por profissionais inaptos. O conhecimento da necessidade radiográfica e porventura sua realização não só com objetivo de documentação, mas como auxiliar no diagnóstico e planejamento correto é essencial. Paciente portadora de prótese total procurou atendimento na clínica de estomatologia da Universidade Federal de Alagoas queixando-se que havia aparecido algo em sua gengiva, após exames radiográficos complementares constatou-se a presença de um canino incluso. A não realização de tomadas radiográficas pode trazer prejuízo ao reabilitado, como por exemplo, impedimento da erupção ou até intrusão de dentes não observados, danos psicológicos pelas alterações dos tecidos moles, além de eventual perda da prótese atual. O presente
relato de caso tem como objetivo mostrar a necessidade da realização de tomadas radiográficas no planejamento de próteses totais.


Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.