A IMPORTÂNCIA DA IMUNOFLUORESCÊNCIA NO DIAGNÓSTICO DAS LESÕES VESÍCULO-BOLHOSAS BUCAIS

Danrley Kelven Ferreira Cavalcante, Mariana de Lyra Vasconcelos, Mayara Ricardo Moraes, Mirelly Raianne de Lira Torres, Camila Maria Beder Ribeiro

Resumo


Doenças mucocutâneas vesículo-bolhosas são patologias autoimunes caracterizadas pela manifestação cutânea de vesículas e bolhas em pele e mucosas, cuja reações imunológicas podem ser identificadas por meio de diferentes marcadores para antígeno ou para o anticorpo. Com isso, a técnica de imunofluorescência direta (IFD), também conhecida como técnica de camada simples foi introduzida para auxiliar o diagnóstico laboratorial pela capacidade de detectar antígenos nos tecidos ou em suspensões celulares, por meio de anticorpos específicos marcados com fluorocromo. Utiliza-se também, para a mesma finalidade, a técnica de imunofluorescência indireta (IFI) que permite a avaliação de auto-anticorpos. Atualmente, o uso da imunofluorescência desempenha um papel determinante nos diagnósticos de diversas doenças autoimunes mucocutâneas, especialmente aquelas com manifestações bucais. Este exame complementar merece uma atenção especial, visto que desempenham papel crucial na determinação da enfermidade quando achados clínicos e histopatológicos não são conclusivos. Logo, o objetivo deste trabalho é conhecer sobre a aplicabilidade da técnica de imunofluorescência para auxilio diagnóstico dessas lesões, bem como ressaltar sua importância com relação a sua especificidade e eficácia. Dado o exposto, a utilização da imunofluorescência como auxiliar no diagnóstico de lesões vesículo-bolhosas é de suma importância para o correto tratamento da patologia sem maiores complicações.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.