AVALIAÇÃO DO USO DE CÁLCIO NA AÇÃO DE AGENTES CLAREADORES SOBRE O ESMALTE DENTAL

Ingrid Torres de Almeida, Danrley Kelven Ferreira Cavalcante, Liliane Santos Sousa, Lucas Nunes de Brito Silva, Izadora Quintela Souza de Moraes, Natanael Barbosa Santos, Larissa Silveira de Mendonça Fragoso

Resumo


Estudos sugerem que as adições de cálcio aos agentes clareadores diminuiriam a redução da microdureza do esmalte dental. A partir disto, este estudo teve como objetivo avaliar a eficácia do clareamento com peróxido de hidrogênio com e sem cálcio e a deposição do cálcio presente no gel clareador sobre o esmalte. Trinta blocos de esmalte bovino constituíram os grupos: G1- Controle; G2- Gel de Peróxido de hidrogênio 35% sem cálcio; G3- Gel de peróxido de hidrogênio 35% com cálcio. Realizou-se avaliações da cor nos tempos: 1) inicial (baseline); 2) após o manchamento; 3) após clareamento. Avaliou-se a deposição de cálcio antes e após a realização do clareamento em Espectrometria de Energia Dispersiva de Raios-x (EDX). Foi realizada uma análise qualitativa da superfície do esmalte no MEV. Os pHs dos clareadores foram mensurados através de pHmetro. Os dados foram submetidos à ANOVA 1 fator e teste de Tukey (p˂0,05). O G3 mostrou maior variação total de cor quando comparado aos grupos G2 e G1; não houve diferenças estatísticas nas concentrações de cálcio e fósforo antes e após o experimento; alterações morfológicas foram encontradas no G2 e G3 e ausentes no G1; os clareadores Whiteness HP Maxx e Whiteness HP Blue apresentaram valores de pH, respectivamente, 5,77 e 7,79. O grupo G3 apresentou maior potencial clareador. Diante do exposto é possível concluir que a adição de cálcio não teve eficácia na redução de alterações morfológicas e no aumento das concentrações de cálcio na superfície do esmalte.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.