CERATOCISTO ODONTOGÊNICO EM MAXILA: RELATO DE CASO

Thaisa Baia Costa, Clarissa Bastos Moraes, Hélder Lima Rebelo, Hugo Franklin Lima de Oliveira, Camila Maria Beder Ribeiro

Resumo


Ceratocisto Odontogênico (CO) se refere a qualquer cisto localizado nos maxilares que apresente em sua composição a presença de paraqueratina. Devido ao seu aspecto agressivo e ao seu potencial de recidiva, seu crescimento é frequentemente relacionado a fatores genéticos inerentes ao seu epitélio ou atividades enzimáticas na parede do cisto. Trata-se de uma lesão assintomática – até atingir um volume considerável – é diagnosticada em exames de rotina e informações clínicas e radiográficas, porém, o diagnóstico conclusivo é através da análise histopatológica. O CO atinge predominantemente o sexo masculino, acometendo a mandíbula em 60%-80% dos casos, com predileção em região do corpo, ramo ascendente e ângulo. A escolha do tratamento é desafiador pelo seu alto índice de recidiva, devendo-se considerar ressecção em bloco. O objetivo deste trabalho é relatar o caso de uma paciente do gênero feminino, 67 anos, apresentava queixa principal de edema em região anterior de maxila. Foram realizados exames de imagens, que indicaram um envolvimento ósseo e dentário próximo do assoalho nasal e do seio maxilar. O laudo histopatologico proveniente da biópsia incisional revelou ceratocisto odontogênico. O tratamento de escolha foi a marsupialização e após 1 ano de acompanhamento foi observada redução e espessamento da cápsula cística. Em seguida, foi realizada a enucleação conservadora do remanescente da lesão. Dado o diagnóstico, ao apresentar as características histopatológicas correspondentes, a paciente foi acompanhada pelo decorrer de mais 12 meses para verificar a presença de recidivas clinicamente e radiograficamente, que não se manifestaram.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.