A IMPORTÂNCIA DA IMUNOISTOQUÍMICA NO DIAGNÓSTICO DE LESÕES METASTÁTICAS DOS MAXILARES

Edilsom dos Santos Cardoso, Shayene Silva Vieira, Naryesllan Carvalho Aquino, Emilly Amorim Alcântara, Mariana Sinara de Oliveira Gomes, Lilianny Querino Rocha de Oliveira, Camila Maria Beder Ribeiro Girish Panjwani

Resumo


A imunoistoquímica é uma técnica associada à metodologia de imuno-ensaio para um diagnóstico mais específico e ágil de doenças utilizando corte de tecidos, estudo de coágulos preparados a partir de materiais citológicos e hematológicos geralmente removidos de ser vivo e fixado com parafina, para depois obter lâminas facilitando a diferenciação entre anticorpos como reagentes específicos com a finalidade de determinação de micro-organismos e celularidade, elucidação de neoplasmas e auxílio nos fatores prognósticos de tumores em gerais. O presente trabalho tem como objetivo evidenciar a importância da imunoistoquímica para o diagnóstico e tratamento de possíveis tumores nos maxilares. Para tanto, foi realizada revisão de literatura nas principais bases de dados bibliográficos - Scielo, Birene, PubMed, Web of Science, EMBASE, Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literature (CINAHL) e LILACS, com conteúdos pertinentes ao tema. A partir da imunoistoquímica é possível verificar que as metástases bucais podem acometer pessoas de qualquer idade, de ambos os sexos predominantemente em estruturas ósseas, principalmente na mandíbula. Portanto, partir dos trabalhos analisados, pode-se concluir que o método citado evidencia um diagnóstico assertivo e mais eficiente acerca de coágulos nos ossos maxilares. E deve ser usado como técnica para o paciente acometido por neoplasia mesmo em metástase.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.