ÚLCERA E GENGIVORRAGIA COMO SINAIS INICIAIS DE APLASIA MEDULAR

Júlia Gabriela Teixeira de Carvalho Véras, Camila Maria Beder Ribeiro Girish Panjwani, Fernanda Braga Peixoto, Gabriela Freitas de Almeida Oliveira

Resumo


A anemia aplásica é um distúrbio hematológico, caracterizado pela falha na produção de números adequados de todos os tipos de células sanguíneas pelas células precursoras hematopoiéticas na medula óssea. Paciente L.R.T. 33 anos, sexo feminino, leucoderma, apresentava duas lesões ulcerativas localizadas em borda lateral de língua lado esquerdo posteriormente e outra em vermelhão de lábio inferior, avermelhada, superfície necrótica, limites nítidos, oval, firme e fixa, edemaciada, dor espontânea e não infiltrativa há uma semana. Com hipótese diagnóstica de ulceração aftosa recorrente maior ou HSV-1/2. Apresentava também gengivorragia espontânea entre os dentes 44 e 45, suspeitando de plaquetopenia ou discrasia sanguínea. Receitou-se ibuprofeno para alívio da sintomatologia e supondo alguma imunossupressão, solicitou-se exames complementares: hemograma, coagulograma, sorologia IgG/IgM, glicemia em jejum, vitamina A e D sérica. Após resultado dos exames diagnosticou-se no Hospital Geral do Estado aplasia medular, onde se encontra hospitalizada. Anemia aplásica é rara, entretanto letal. Causada por medicações ou por exposições ambientais. Diante do exposto vê-se a importância do diagnóstico e investigação do cirurgião-dentista, pois o início desta doença hematológica deu-se através de manifestações bucais. Tendo como prognóstico, que mesmo a doença estando controlada, pode haver recorrências e o paciente arrisca-se evoluir para um quadro de leucemia aguda.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.