TRATAMENTO DE TUMOR ODONTOGÊNICO ADENOMATÓIDE: RELATO DE CASO CLÍNICO

Laryssa Ellen Fernandes Dantas, Marcella Georgia Barbosa da Silva, Samara Correia da Silva, Samuel Pereira Assunção, Ane Karoline de Moura Oliveira, Mirella Braga Rezende, José Ricardo Mikami

Resumo


O tumor odontogênico adenomatóide (TOA) tem prevalecimento na 2ª década de vida e no gênero feminino, sendo uma neoplasia de origem epitelial rara, benigna. Comumente acontece em maxila, estando associado apresença de dentes retidos, de crescimento rápido, não excedendo 3 cm na maioria dos casos. Radiograficamente, pode se apresentar radiolúcido ou misto, com aspecto unilocular e limites bem definidos. No histopatológico são observadas células epiteliais fusiformes que formam ninhos ou cordões de massa celulares. O diagnóstico diferencial pode ser feito com qualquer cisto ou tumor odontogênico e o tratamento geralmente é conservador. O objetivo deste trabalho é apresentar um caso clínico de uma paciente de 16 anos, melanoderma com queixa de dor e sangramento na região dos elementos dentários 41-43. Ao exame clínico intra-oral, foi observado abaulamento vestibular e lingual da região afetada, sugestivo de neoplasia de origem odontogênica. Radiograficamente tratou-se de uma lesão com imagem radiolúcida bem delimitada e deslocamento radicular dos dentes envolvidos. Realizou-se biópsia incisional com diagnóstico histopatológico de tumor odontogênicoadenomatóide. A paciente foi submetida a enucleação da lesão e encontra-se em acompanhamento e sem recidiva. TOA podem ser confundidos com outras patologias, no entanto devem ter suas características clínicas, radiográficas e histopatológicas bem ressaltadas. Após executado o tratamento cirúrgico conservador por meio de exérese, possuem baixos índices de recidivas.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.