FÍSTULA BUCO-SINUSIAL: RELATO DE CASO

Thayslane Silva Guedes, Cibele Leite da Silva, Dayanne Hillary Azevedo Santos, Stefannie Lopes de Freitas, Silana Nair Barbosa, Pedro Thalles Bernardo de Carvalho Nogueira

Resumo


Dentre os seios paranasais o seio maxilar é o maior, localizado bilateralmente no interior do osso maxilar, que é um espaço pneumático. Caracteríza-se como uma cavidade cheia de ar que possui comunicação com a fossa nasal por intermédio do óstio sinusal maxilar. Apresenta-se radiolúcido radiograficamente, com limites radiopacos, podendo variar a forma e o tamanho de acordo com o indivíduo. As funções estruturais do seio são, reduzir o peso do crânio, proteger as estruturas intraorbitais e intracranianas em situações de trauma onde absorvem o impacto e participam do crescimento facial. Em sua maioria, as comunicações buco sinusais ocorrem, pela exodontia dos primeiros molares superiores ou dentes superiores posteriores devido a sua proximidade com o seio maxilar. Também existem outros fatores etiológicos que ocorrem com menor frequência como o traumatismo gerado pelo uso inadequado de instrumentos, destruição do seio por lesões periapicais e remoção de cistos e/ ou tumores do palato ou do seio maxilar. Esse trabalho trata-se de um relato de caso clínico de um paciente do sexo feminino, 30 anos, que procurou atendimento com história de exodontia do elemento 26 há 3 semanas, relatando uma “secreção que saí pelo nariz e na boca e sentia mal cheiro que não passava”. Ao exame intra-oral paciente apresentava na região do elemento 26 coloração avermelhada e com cicatrização incompleta do álveolo. Ao exame radiográfico periapical e panorâmico, observou-se a presença da raiz palatina do elemento 26 em íntimo contato com o seio maxilar e uma solução de descontinuidade no

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.