USO DA TOXINA BOTULÍNICA COMO PROPOSTA TERAPÊUTICA PARA UMINDIVÍDUO COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA E QUADRO DE AUTOMUTILAÇÃO

Thiago Barros Português Silva, Iara Santos Alves, Dayane Lins Farias, Rosany Larissa Brito de Oliveira, Stela Maris Wanderley Nobre

Resumo


O transtorno do espectro autista (TEA) enquadra-se entre os principais distúrbios de desordem do desenvolvimento. Está mais associado à maior dificuldade cognitiva, o que facilita a ocorrência de autoagressão, sendo caracterizado por déficits persistentes na comunicação social e na interação social em múltiplos contextos; por padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses ou atividades; os sintomas causam prejuízo clinicamente significativo em áreas importantes da vida do indivíduo. A deficiência intelectual ou transtorno do espectro autista costumam ser comórbidos. A toxina botulínica adotada pelo cirurgião-dentista com finalidades terapêuticas pode ser utilizada como um auxiliador na prevenção automutilações recorrente causadas por distúrbios neurológicos. O presente estudo tem o objetivo relatar o caso de um indivíduo autista com quadro de automutilação, onde realizou-se a aplicando da toxina botulínica para fins terapêuticos. A Toxina Botulínica demonstrou ser uma conduta terapêutica eficaz para pessoas com TEA e quadro de automutilação, devido a redução dos episódios de automutilação e atenuação dos movimentos do bruxismo, assim como melhora na qualidade de vida do indivíduo e familiares.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.