ALTERAÇÕES BUCAIS EM CRIANÇAS COM MICROCEFALIA: REVISÃO DE LITERATURA

Isabela Moreira Pio, Millena Jacinto de Oliveira, João Augusto Goulart, Ana Lídia Soares Cota

Resumo


A microcefalia é uma má-formação congênita em que o cérebro não se desenvolve de forma adequada e as fontanelas se fecham com prematuridade, resultando em uma cabeça pequena e provável atraso no desenvolvimento neurológico, mental, psíquico e motor do indivíduo. Devido ao caráter recente da epidemia, ainda são escassas as informações acerca das possíveis alterações bucais em crianças com microcefalia. Em função da dieta predominantemente pastosa e hipercalórica, associada a alterações salivares, dificuldade de realização da atividade de higiene bucal e comprometimento da mastigação e deglutição, os indivíduos com tal condição neurológica (não associada à síndrome da infecção congênita pelo Zika Vírus) possuem maior risco de desenvolver cárie dentária, doenças periodontais, má oclusão, micrognatia, atraso na erupção dentária, bruxismo e traumatismos buco-dentários. Além disso, os distúrbios no desenvolvimento das estruturas dentárias podem ter origem hereditária, congênita ou adquirida. Tais alterações podem afetar tanto a forma, tamanho, número, posição, constituição e\ou função dos dentes, portanto é de extrema importância à atuação do cirurgião dentista no diagnóstico e tratamento. Apesar da dificuldade em encontrar profissionais capacitados para o atendimento odontológico a pacientes diagnosticados com microcefalia, existe, muitas vezes, a falta de recursos financeiros de seus familiares no custeio do tratamento especializado. Diante disso, o presente trabalho tem como objetivo realizar uma revisão de literatura e apresentar as principais alterações de saúde bucal em crianças com microcefalia.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.