REABILITAÇÃO DE MAXILA ATRÓFICA POR MEIO DE PROTOCOLO DE BRANEMARK SOBRE IMPLANTES ZIGOMÁTICOS

Mayara Cristina Cavalcante de Freitas, Wagner Sotero Fragoso, Vanio Santos Costa, Marcos Aurélio Bomfim da Silva

Resumo


Este trabalho teve o propósito de demonstrar a relevância clínica da confecção de uma prótese total fixa maxilar implanto-suportada, Protocolo Branemark, na reabilitação de maxila atrófica por meio de implantes zigomáticos. Numa maxila completamente desdentada e com rebordo residual extremamente reabsorvido, foram inseridos cinco implantes (Conexão Sistemas de Prótese®), três implantes padrão com hexágono externo e dois implantes zigomáticos, ao longo extensão do arco. Após período de seis meses, foi procedida uma sequência de procedimentos clínicos, os quais envolveram moldagem de transferência, obtenção de modelos e tomada da relação maxilo-mandibular, visando à montagem em articulador semi-ajustável numa correta posição espacial. Uma infraestrutura em cobalto-cromo foi fundida em segmentos e parafusada a abutments. As partes foram reunidas com resina acrílica para o procedimento de soldagem por brasagem. Uma vez soldada, a estrutura foi reinstalada e apresentou aceitável desajuste marginal. A seguir, os dentes artificiais foram montados e aplicada a camada de revestimento estético. Uma vez finalizada as etapas laboratoriais e clínicas, pôde-se concluir que: a prótese total fixa maxilar implanto-suportada proporcionou adequado ajuste de margens e restabeleceu os requisitos estéticos e funcionais, sobretudo repondo a grande quantidade de tecido ósseo ausente e a função fonética.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.