A UTILIZAÇÃO DE BIOMATERIAIS NA IMPLANTODONTIA: RELATO DE CASO

Alinne Daniele Fragoso Dantas, Everânia da Silva, Isabela Moreira Pio, Mariana Josué Raposo, Millena Jacinto de Oliveira, Samuel Pereira Assunção, Vilma Leão Barbosa Neta

Resumo


Apesar da redução de indivíduos desdentados parciais e totais na população brasileira, ainda existe um grande número de pacientes que perdem os dentes precocemente. Sendo assim, há uma procura cada vez mais elevada pela reabilitação destes dentes perdidos através dos implantes dentários, tornando-se de fundamental importância para o cirurgião-dentista o conhecimento do processo de cicatrização dos alvéolos pós-extração, afim de fornecer um correto planejamento dos casos. Logo após uma exodontia, ocorre o processo de reparo na região interna do alvéolo juntamente com a formação de coágulo rico em células e fatores de crescimento, os quais guiarão uma neoformação, remodelação óssea e epitelização dos tecidos moles. Durante esse processo o rebordo alveolar sofre alterações relevantes, tanto em altura quanto em espessura, que influenciam a possibilidade de instalação dos implantes. No entanto, com a ampla evolução da implantodontia e dos biomateriais torna-se possível a instalação de implantes em áreas de pouca espessura e largura óssea, permitindo a realização de cirurgias mais simples e com maior índice de sucesso e conforto ao paciente. O objetivo do trabalho consiste em demonstrar através de um caso clínico os passos para uma regeneração óssea guiada (ROG), utilizando Bio-oss(block) e Fibrina Rica em Plaquetas(PRF) em paciente com pouca espessura óssea, seguido da instalação de implante dentário Cone Morse* (Neodent) na região do enxerto, e após o período de osseointegração a realização da colocação de coroa metalocerâmica a osseointegração e redução do tempo para reabilitação oral do paciente.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.