COMPLEXO TRISTEZA PARASITÁRIA E TRIPANOSSOMÍASE EM BOVINOS DE NOSSA SENHORA DA GLÓRIA – SE

Adriano de Jesus Santana, Raiane Castor Varjão, José Ednaldo de Jesus Santos, Carla Monadeli Filgueira Rodrigues, Clarice Ricardo de Macedo Pessoa, Geyanna Dolores Lopes Nunes, André Flavio Almeida Pessoa

Resumo


Introdução: O complexo tristeza parasitária e tripanossomíase são patologias relevantes em bovinos no Brasil, responsáveis por consideráveis perdas econômicas com elevada morbidade e mortalidade do rebanho. Em bovinos, a babesiose é causada pelos protozoários Babesia bovis e B. bigemina, enquanto a anaplasmose é causada pelas rickettsias Anaplasma marginale e A. centrale, todos sendo transmitidos, comumente, pelo carrapato Rhipicephalus microplus. Já o principal agente etiológico da tripanossomíase em bovinos na América do Sul é o Trypanosoma vivax, um protozoário flagelado transmitido por dípteros hematófagos, como tabanídeos e moscas dos estábulos ou por meios iatrogênicos. Objetivo: Descrever a ocorrência do complexo tristeza parasitária e da tripanossomíase em bovinos de Nossa Senhora da Glória, na mesorregião do sertão sergipano, Brasil, contribuindo para uma maior compreensão da epidemiologia e patologia dessas doenças. Descrição do caso: Numa propriedade no estado de Sergipe, contendo 150 bovinos de produção leiteira da raça girolando, de criação semi-intensiva, foi solicitada assistência veterinária para avaliação de quatro animais, fêmeas, com idade variando de 5 a 8 anos e histórico de diminuição da produção de leite. No exame físico, foram identificadas as seguintes alterações: mucosas pálida-ictéricas, hipertermia (40°C), dispneia, desidratação, sinais clínicos neurológicos de incoordenação, ataxia e bruxismo. Foram coletadas amostras de sangue, por punção da veia jugular, armazenadas em tubos com e sem EDTA (ácido etilenodiaminotetracético) para análises laboratoriais posteriores. Foram realizados esfregaços sanguíneos e corados pelo panótico rápido, sendo observados em microscópio óptico, nas objetivas de 40x e 100x. Foi possível identificar formas tripomastigotas de T. vivax e hemácias parasitadas por Babesia spp. Embora não tenha sido visualizada, a bactéria Anaplasma spp. frequentemente está associada a infecção por Babesia spp. As formas tripomastigotas de T. vivax são encontradas na corrente sanguínea com corpo alongado, achatado, extremidades afiladas, membrana ondulante reduzida, com um único flagelo livre, cinetoplasto grande e núcleo grande e central. A Babesia spp., dentro dos eritrócitos, pode apresentar aspecto piriforme (merozoíto), pareada ou não; também são comuns as formas arredondadas (trofozoítos ou gametócitos). Todos os animais foram tratados com Diaceturato de diazoamino dibenzamidina e tetraciclina, porém apenas dois sobreviveram. Os outros dois evoluíram para decúbito esternal, decúbito lateral com movimentos de pedalagem e morte.  O proprietário relatou que, meses antes dos animais apresentarem os sintomas, havia adquirido novos bovinos e não havia realizado quarentena, podendo então estes novos animais terem sido a fonte da infecção. Além disso, observou-se na propriedade o uso indiscriminado de ocitocina para promover a descida do leite, com a reutilização de seringas descartáveis, sendo uma das possíveis causas de disseminação dos agentes. Conclusão: De acordo com os sinais clínicos e exame do esfregaço sanguíneo, foi determinado o diagnóstico de hemoparasitismo pelo complexo tristeza parasitária-tripanossomíase. Uma vez que os animais já apresentavam sinais clínicos graves no momento do atendimento, não foi possível a recuperação de dois animais, que morreram. O proprietário e os tratadores foram instruídos sobre medidas sanitárias preventivas.

Palavras-chave: Bovino leiteiro. Diagnóstico. Babesia. Anaplasma. Trypanosoma.


Palavras-chave


Bovino leiteiro. Diagnóstico. Babesia. Anaplasma. Trypanosoma.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.