OCORRÊNCIA DE HEMOPARASITOS EM CÃES DO SERTÃO E AGRESTE SERGIPANOS

Victor Brenno Pereira Santos, Raiane Castor Varjão, Elisa Maria Pacheco Bispo, Nara Silva de Carvalho Delfino, Roseane Nunes de Santana Campos, Victor Fernando Santana Lima, Geyanna Dolores Lopes Nunes

Resumo


Introdução: As hemoparasitoses constituem um grupo de doenças cujos agentes etiológicos apresentam tropismo por células sanguíneas. Os cães são comumente afetados por hemoparasitos, devido as ações de vetores artrópodes infectados que, ao se alimentarem do sangue de animais, depositam a saliva infectada na corrente sanguínea. Dentre as diversas espécies de artrópodes, o Rhipicephalus sanguineus é o principal disseminador de patógenos, que incluem Babesia spp., Hepatozoon spp., Mycoplasma spp., Ehrlichia canis e Anaplasma platys. Objetivo: Assim, o objetivo deste trabalho foi investigar a ocorrência de hemoparasitos em cães atendidos pela UFS – Campus Sertão, advindos do sertão e agreste sergipanos. Método: Foram coletadas amostras de 75 animais das cidades de Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora de Aparecida, Monte alegre, Porto da Folha, Lagarto e Ribeirópolis. As amostras de sangue foram coletadas através das veias jugular, cefálica ou safena, em uma quantidade variando entre 1 a 3 mL, armazenadas em tudo com EDTA (ácido etilenodiamino tetra-acético) e refrigeradas. Foi realizada a técnica de esfregaço de sangue total, que consiste em estirar uma gota de sangue em uma lâmina de vidro limpa e desengordurada, para em seguida ser corada pelo panótico rápido. Logo após a secagem, as lâminas foram analisadas em microscópio óptico nas objetivas de 40x e 100x. Resultados: Foram detectados 4% (3/75) de cães positivos para Hepatozoon spp., 2,6% (2/75) para Mycoplasma spp., 6,6% (5/75) para Ehrlichia canis e 1,3% (1/75) positivo para Anaplasma platys. A maioria dos animais foram advindos das cidades de Nossa Senhora da Glória (52%) e de Nossa Senhora das Dores (34,6%) e, consequentemente, apresentaram maior quantidade de animais positivos. Em Nossa Senhora das Dores foram encontrados 3,8% positivos para Hepatozoon spp. Já em Nossa Senhora da Glória houve maior variedade de patógenos, sendo diagnosticados como positivos: 2,5% para Anaplasma platys, 7,7% para Ehrlichia canis, 5,1% para Mycoplasma spp. e 5,1% para Hepatozoon spp. Discussão: Existem poucos estudos sobre a ocorrência de hemoparasitos em cães de Sergipe, concentrando-se na capital Aracajú e região metropolitana. A detecção destes patógenos em cães do sertão e agreste sergipano constitui um achado importante, uma vez que estes agentes podem causar sinais clínicos diversos, desde os mais brandos até ocasionar a morte do animal. Além disso, serve para alertar aos clínicos veterinários da região sobre a importância da realização dos exames laboratoriais para auxiliar a estabelecer o diagnóstico correto e o melhor tratamento. Conclusão: Portanto, o teste de esfregaço de sangue total, com sua simples aplicabilidade e praticidade de execução, mostrou-se útil para verificar a ocorrência de hemoparasitos em cães no sertão e agreste sergipanos.

Palavras-Chave:  Diagnóstico. Hepatozoon. Mycoplasma. Ehrlichia. Anaplasma.


Palavras-chave


Diagnóstico. Hepatozoon. Mycoplasma. Ehrlichia. Anaplasma.

Texto completo:

PDF

Referências


MONTEIRO, Silvia Gonzalez. Parasitologia na Medicina Veterinária. 2 ed. Rio de Janeiro: Roca, 2017


Apontamentos

  • Não há apontamentos.