DIAGNÓSTICO MOLECULAR DE MOLLICUTES EM CAVIDADE ORAL DE ROEDORES E MARSUPIAIS DA ILHA DE ITAMARACÁ, PERNAMBUCO, BRASIL

Manuel Benicio Benicio, Sandra Batista Batista, Matheus Resende Resende, José Wilton Wilton, Leucio Camara Camara, Rinaldo Aparecido Aparecido, Victor Fernando Fernando

Resumo


Introdução: A classe Mollicutes é composta de cinco ordens, seis famílias e 14 gêneros, os quais tem sido diagnósticados em diversas espécies de animais incluindo-se o homem. Tendo essa classe, cinco gêneros de importância veterinária, sendo o gênero Mycoplasma o mais abrangente entre os animais, a grande maioria desses micro-organismos é encontrada na microbiota oral, tendo espécies que são oportunistas e patogênicas causadoras de doenças, tanto em espécies domésticas quanto em animais silvestres. Objetivo: Diagnosticar molecularmente Mollicutes em cavidade oral de roedores e marsupiais da Ilha de Itamaracá, Pernambuco, Brasil. Método: Para esse estudo foram coletadas amostras de suabes via orofaringe de roedores (Rattus rattus n=4, Oryzomys nigripes  n=3, Rattus norvegicus n=2, Cerradomys subflavus n=2 e Oryzomys fornesi n=1) e  marsupiais (Didelphis albiventris n=12). Para obtenção das amostras os animais foram capturados com o auxílio de armadilhas Tomahawk e posteriormente sedados. Todas as amostras foram processadas no Laboratório de Doenças Infecciosas da Universidade Federal Rural de Pernambuco, as quais foram  aliquotadas em volume de 300µL e submetidas à  extração do DNA genômico com  o kit co­mercial “Wizard® Genomic DNA Purification Kit” (Promega, A1125), de acordo com o protocolo do fabricante. Após avaliação da qualidade e quantidade do DNA , as amostras submetidas a PCR com oligonucleotídeos genéricos MGSO (5’-TGC ACC ATC TGT CAC TCT GTT AAC CTC-3’) e GPO3 (5’-GGG AGC AAA QAAG GAT TAG ATA CCC T -3’) para detecção dos gêneros pertencentes à classe Mollicutes.   O perfil térmico foi previamente descrito por kuppeveld et al., (1992) que amplificam as regiões conservadas V6 e V7 do gene 16SRNA, específicos para Classe Mollicutes. Como controle positivo utilizou-se o isolado GM12 e como controle negativo água ultrapura. Para realização desse estudo obteve-se autorização do Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade com a licença de número 50.588-1. Resultado: Como resultado, foi obervado que 33,3% (8/24%) das amostras amplificaram os “primers” universais para o gene 16SRNA resultando em um produto de aproximadamente 280 pares de base., sendo consideradas positivas para essa classe Mollicutes. Os marsupiais corresponderam a 75% (D.albiventris n=6) das amostras positivas, seguida dos roedores com 25% (R. rattus n=1; O. nigripes n = 1). 18,7% (3/16) das amostras analisadas molecularmente apresentaram resultados inespecíficos para o gene 16SRNA, pois amplificaram 400pb. Discussão: Neste estudo relatamos pela primeira vez no Nordeste o diagnóstico molecular de bactérias da classe Mollicutes em cavidade oral em roeodores e marsupiais de vida livre, incluindo D.albiventris, R. rattus e  O. Nigripes  como novos hospedeiros desse patógeno. Apesar desse estudo ter detectado somemente a classe Mollicutes, vale destacar que pesquisas envolvendo roedores selvagens sugerem que estes animais sejam infectados principalmente por micoplasmas hemotrópicos (Sashida et al. (2013). Conclusão: Reodores e marsupiais de pernambuco são parasitados por bactérias da classe Mollicutes. Sendo necessários novos estudos para se compreender a relação parasito-hospedeiro nesses animais.


Palavras-chave


Diagnóstico Molecular, Gambá, Rato, Micoplasmoses.

Texto completo:

PDF

Referências


SASHIDA, H., SASAOKA, F., SUZUKI, J., WATANABE, Y., FUJIHARA, M.,

NAGAI, K., KOBAYASHI, S., FURUHAMA, K., HARASAWA, R. Detection of

Hemotropic Mycoplasmas in Free-living Brown Sewer Rats (Rattus norvegicus). J.

Vet. Med. Sci. 75 (7): 979–83, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.