AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE À INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL TRANSCERVICAL EM TEMPO FIXO NO MOMENTO PÓS-OVULATÓRIO COM USO DO SÊMEN CONGELADO EM OVINOS SANTA INÊS

Matheus Batista de Oliveira, Islan Dantas Menezes Dias, Davi Andrade Oliveira, Alexandre Floriani Ramos, Phillip Hamilton Purdy, Hymerson Costa Azevedo

Resumo


O momento da inseminação artificial (IA) transcervical em tempo fixo (IATC-TF) é importante para obter uma boa fertilidade utilizando sêmen congelado devido aos danos da criopreservação sobre os espermatozoides. Objetivou-se testar se a deposição do sêmen congelado após o momento ovulatório aumenta a fertilidade de ovelhas à IATC-TF. Amostras de sêmen de oito carneiros foram criopreservadas e utilizadas em 94 ovelhas submetidas a protocolo de sincronização do estro (D0–Inserção dispositivo progesterona; D5–Aplicação PGF2α; D6–Remoção dispositivo + aplicação eCG). Foi realizada a IATC-TF 58 horas (IA-58/ovulação) ou 62 horas (IA-62/pós-ovulação) após a retirada do dispositivo com duas doses de 0,25 mL com 150 x 106 espermatozoides cada. Obteve-se a fertilidade à IATC-TF pelo diagnóstico de gestação, considerando para sua análise o modelo linear misto generalizado a fim de identificar os efeitos do momento da IA, idade da ovelha e suas interações. As médias dos quadrados mínimos foram reportadas e as diferenças identificadas considerando-se 5% de significância. Resultados: Nenhuma variável influenciou a fertilidade (p>0,05). Entretanto, os resultados sugerem uma tendência de maior fertilidade nas ovelhas inseminadas no momento pós-ovulatório (IA-58=31,91% e IA-62=44,68%). A fertilidade tendeu ser menor em ovelhas com um a dois anos (32,56%) e a partir de sete anos de idade (25,00%) em comparação às demais: três a quatro (57,14%) e cinco a seis (43,75%). O número insuficiente de ovelhas (repetições) não permitiu confirmar a maior fertilidade à IATC-TF após a ovulação e em ovelhas entre três e seis anos de idade. A tendência de maior fertilidade das ovelhas inseminadas pós-ovulação pode ser devido aos espermatozoides criopreservados, que têm menor sobrevida, já encontrarem o óvulo no útero para fecundação. Já a tendência de menor fertilidade das ovelhas com idades entre um e dois anos, pode ser resultado da sua incompleta maturidade e, daquelas acima de sete anos devido ao seu declínio no desempenho reprodutivo. Recomenda-se confirmar se a tendência do atraso da IA para o momento pós-ovulatório aumenta a fertilidade à IATC-TF.


Palavras-chave


CIDR; IATF; Protocolo curto; Ovulação; Sincronização do estro.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.