AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DA AUTO-VACINA NO TRATAMENTO DA PAPILOMATOSE CUTÂNEA EM UM BOVINO DE CORTE

Pamela Filgueira Thaiany, Gildeni Maria Nascimento de Aguiar, Alonso Pereira Silva Filho, Eugenio Santos Ferreira, Amanda Cristina Camassari Santana, Pablo Petrúcio de Oliveira Ferreira, Ana Maria de Almeida Vieira

Resumo


 A papilomatose cutânea é uma doença infectocontagiosa, crônica, provocada por um vírus do gênero Papilomavirus. Possuí caráter tumoral benigno, caracterizando lesões no tecido epitelial de pele e mucosas. Pode ser transmitido animal/animal ou por cercas, bebedouros, comedouros, carrapatos, ordenhadeiras e etc. O vírus penetra na pele, infecta os queratinócitos basais, se replica, causando um crescimento excessivo, característico da formação da verruga. O animal infectado pode apresentar hemorragias e infecções secundárias. Alguns podem apresentar cura espontânea, porém, o tratamento sistêmico é necessário, levando em conta quando a quantidade de papilomas é muito alta ou a grande quantidade de animais acometidos dentro a propriedade. Objetivos: Avaliar a eficácia da auto-vacina no tratamento da papilomatose bovina. Método: Um animal da espécie bovina, sexo feminino, SRD, 30 meses de idade, foi atendida no Hospital Veterinário Universitário da cidade de Viçosa – AL, proveniente de uma propriedade no município de Coruripe -AL. Segundo o proprietário, o bovino apresentava “verrugas” pelo corpo que vinha aumentando com o passar do tempo. Durante o exame físico o animal apresentava-se em estação, com seus parâmetros normais, ativo, e apetite presente, rúmen moderadamente cheio, fezes e urina sem alterações. Foi notado o aumento de ambos os linfonodos pré-escapulares, foi observado múltiplos papilomas pedunculados em diversas regiões do corpo do animal. No ápice da orelha direita foi notado 1 papiloma pedunculado, com crosta, medindo 0,5 cm de diâmetro, em região da pálpebra inferior e superior do olho esquerdo observou-se 4 papilomas também pedunculados com crosta, medindo entre 0,4 cm e 1 cm de diâmetro, na região cervical e ao longo do dorso foram identificados os papilomas maiores, medindo entre 3 cm e 4 cm de diâmetro, ambos pedunculados e sanguinolentos. As características apresentadas permitiram o diagnóstico de papilomatose, diante disto optou-se pelo tratamento com a auto-vacina. A auto-vacina foi confeccionada utilizando-se cinco gramas do papiloma do próprio animal (obtidos por meio de uma incisão entre a pele do animal e o papiloma, lavado com solução fisiológica), 30 ml de glicerina destilada, 30 ml de solução fisiológica, tudo homogeneizado. A solução foi armazenada em um becker de vidro, recoberto por papel alumínio e colocada na geladeira por 4 dias. Após esse período a solução foi retirada da geladeira, filtrada, e foi acrescentado o antibiótico (penicilina 20 ml, sem diclofenaco), e retornou a geladeira. Após 24 horas, a medicação estava pronta para o uso. Todas as aplicações foram feitas pela via subcutânea, primeira aplicação foi administrada 15 ml. Após 5 dias foi feita a segunda aplicação, 10 ml. Após mais 5 dias foi feito a terceira aplicação também com 10 ml. Resultados: Após 7 dias observou-se uma mudança na textura desses papilomas, apresentavam-se mais secos e menos sanguinolentos. Após 10 dias começaram a regredir. Um mês após notou-se uma redução brusca no número de papilomas, sumindo por completo com 45 dias após a última aplicação.  Discussão: Existe tratamentos para a papilomatose utilizando métodos como auto-hemoterapia, aplicação de clorobutanol, diaminazina e a auto-vacina.  Foi optado pela vacina indivíduo-específica porque a mesma é muito mais eficaz que a espécie-específica, esta última é produzida com a cepa causadora da enfermidade, já a espécie-específica pode ser formada por uma cepa diferente do vírus que acomete o animal, não promovendo, dessa forma, resposta imunológica contra o papiloma. Conclusão: A auto-vacina indivíduo espécie foi eficiente no tratamento deste animal que apresentava papilomas pedunculados, uma vez que os papilomas regrediram em torno de 10 dias após a primeira aplicação. E houve regressão total das lesões em 45 dias após a última aplicação

Palavras-chave


Papiloma, Vírus, Pedunculados, Medicação

Texto completo:

PDF

Referências


(RICHTZENHAIN & RIBEIRO, 1982)

(DE VILLIERS et. al. 2004)

(RICHTZENHAIN & CONRADO RIBEIRO, 1982; HAMA et. al. 1998; ROSENBERGER, 1993)

Santin, A., & Brito, L. (2006). ESTUDO DA PAPILOMATOSE CUTÂNEA EM BOVINOS LEITEIROS: COMPARAÇÃO DE DIFERENTES TRATAMENTOS. Ciência Animal Brasileira, 5(1), 41-47.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.