Aspectos da Vida Sexual de Estudantes Adolescentes

Sheyla de Amorim Cordeiro da Silva, Leila Araújo Barbosa Costa, Jairo Calado Cavalcante

Resumo


Objetivo: Descrever aspectos da vida sexual de estudantes adolescentes. Metodologia: Estudo descritivo, transversal, quantitativo, com amostra aleatória de 556 estudantes, ambos os sexos, dos 10 aos 18 anos, oriundos de três escolas públicas de Maceió-AL. Os dados foram coletados através de um questionário semi estruturado em 2012. Resultado: A maioria era do sexo feminino (58%), 82,2% solteiros e 40,4% católicos. Poucos dialogavam com seus pais, sendo 14,4% conversavam com os pais sobre suas vidas e 11,1% conversam sobre sexo com os pais. Sobre métodos contraceptivos, 86,7% conhece algum método contraceptivo, 83,9% conhecem a camisinha e 33,6% anticoncepcional oral ou injetável como forma de prevenção. Do total, 45% deles tinham vida sexual ativa e faziam uso de camisinha masculina. A média de idade de inicio de relação sexual desses adolescentes foi 12,5 anos de idade e 13,1 anos para os  adolescentes que já engravidaram alguém. Os amigos são os primeiros a serem procurados pelos adolescentes para contar a notícia da gravidez (28,5%), seguidos pela mãe (2,8%). Conclusão: Os resultados mostram realidade similar a literatura estudada e apontam para a necessidade de estratégias de educação voltadas para a saúde sexual e reprodutiva dos adolescentes, englobando profissionais de saúde, professores e família, bem como o dialogo, para construção de ações que promovam a saúde integral sexual e integral do adolescente.

Descritores : Sexualidade ; Adolescência; anticonceptivo


Texto completo:

PDF

Referências


Teixeira SAM, Taquette SR. Violência e atividade sexual desprotegida em adolescentes menores de 15 anos. Rev. Assoc. Med. Bras. 2010; 56(4)

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes Nacionais para a Atenção Integral a Saúde de Adolescentes e Jovens na Promoção, Proteção e Recuperação da Saúde. 2010.

Silva SS, Silva MR, Alves MFP. Sexualidade e Adolescência: é preciso vencer os tabus. Anais do 2º congresso Brasileiro de extensão Universitária. Belo Horizonte, 2004.

Freitas KR, Dias SMZ. Percepções de adolescentes sobre sua sexualidade. Texto e Contexto Enferm. 2010 Abr-Jun; 19(2).

Bruno ZV, Feitosa FEL, Silveira KP, Morais IQ, Bezerra MF. Reincidência de Gravidez em adolescentes. Revista Bras. Ginecol. Obstet. 2009; 31(10)

Belo MAV, Silva JLP. Conhecimento, atitude e prática sobre métodos anticoncepcionais entre adolescentes gestantes. Rev de Saúde Pública, SP 2003; 38(4).

Souza VLC, Corrêa MSM, Souza SL, Beserra MA. Aborto entre adolescentes. Rev Latino Americana de Enferm., 2001; 9(2).

Kristin M,Sabherwal S. A ReviewofRiskandProtectiveFactors for Adolescent Sexual andReproductive Health in Developing Countries: An Update. JournalofAdolescent Health 53(2013).

Belo MAV, Silva JLP. Conhecimento, atitude e práticas sobre métodos anticoncepcionais entre adolescentes gestantes. Rev. Saúde Pública, São Paulo, 2004. 38(4)

Hoga LAK, Borges ALV, Alvarez REC. Gravidez na adolescência: valores e reações dos membros da família. Acta Paul Enferm2009; 22(6)

Soares JSF, Lopes MJM. Biografias de gravidez e maternidade na adolescência em assentamentos rurais do Rio Grande do Sul. RevEscEnferm USP, 2011; 45(4)

The Paterniship for Maternal, Newborn&Chlid Health. PMNCH KnowledgeSummary 22. WHO, 2012. Disponível em: http://portal.pmnch.org/

Proporção de internações hospitalares SUS. Indicadores e Dados Básicos – Brasil 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/rpss.v1i3.2567

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Endereço postal

Núcleo de Saúde Pública- NUSP /FAMED

Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Av. Lourival Melo Mota, s/n

Tabuleiro dos Martins CEP:57072-900

Maceió - AL

 E - ISSN 2525-4200 

Indexação:            


Apoio: