Opinião sobre o Trânsito por Profissionais de Saúde

Luane Lira, Adolfo Régis Feitosa Gomes, Maria Stella Jakeline Alves De Farias, Mayara Nakiria Tavares Da Rocha, Marina Saldanha Rodrigues, Maria das Graças Monte Mello Taveira

Resumo


Objetivo: Levantar o conhecimento de profissionais de saúde sobre humanização no trânsito. Método: Estudo descritivo transversal realizado durante encontro nacional com 200 profissionais de saúde. Os dados foram analisados pelo programa EpiInfo 3.3.2. Resultados: 67,5% dos entrevistados eram do sexo feminino e 70,5% completaram o Ensino Superior, estando a maioria da amostra acima dos 40 anos, com 44,1% atuando como gerentes ou diretores da saúde. Cerca de 40% dos participantes do congresso afirmaram ter sofrido algum tipo de acidente de trânsito, destes, 65% foram causados por mulheres e 73,1% por pessoas de Ensino Superior Completo. Quando questionados sobre a responsabilidade e prioridade no trânsito encontrou-se que 92,5% dos pesquisados afirmaram que os pedestres são os principais responsáveis pelo trânsito. Conclusão: O profissional da saúde deve conhecer as responsabilidades no trânsito e promover a humanização nesse contexto, construindo valores para a melhoria da qualidade de vida e assim contribuir para a diminuição da morbimortalidade decorrente dos acidentes de trânsito.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.28998/rpss.v1i3.2683

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Endereço postal

Núcleo de Saúde Pública- NUSP /FAMED

Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Av. Lourival Melo Mota, s/n

Tabuleiro dos Martins CEP:57072-900

Maceió - AL

 E - ISSN 2525-4200 

Indexação:            


Apoio: