EFEITO DA TEMPERATURA E DE EMBALAGENS SOBRE A ANTRACNOSE EM FRUTOS DE MANGA cv. TOMMY ATKINS

Mayara Castro Assunção, Ana Gabriele Gurgel Amaral, Fernando Josias Alcântara Lins

Resumo


Este trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência de diferentes temperaturas e embalagens para o controle da antracnose (Colletotrichum sp.) na cultura da manga. Os frutos selecionados encontravam-se em estádio de maturação comercial, possuindo uniformidade de cor, tamanho e ausência de injúrias mecânicas e fisiológicas, sendo submetidos à inoculação e em seguida à câmara úmida por 24 horas. Posteriormente, foram aplicados os tratamentos: T1 – 10ºC sem embalagem; T2 – 10ºC com embalagem individual; T3 – 10ºC com embalagem coletiva; T4 – 24ºC sem embalagem; T5 - 24ºC com embalagem individual; T6 – 24ºC com embalagem coletiva; T7 – temperatura ambiente sem embalagem (testemunha); T8 – temperatura ambiente com embalagem individual; T9 – temperatura ambiente com embalagem coletiva. Utilizou-se delineamento inteiramente casualizado com cinco repetições, dispostos num esquema fatorial 3 x 3 (três temperaturas e três embalagens). Foram avaliadas incidência (I) e severidade (S) da doença aos 0, 4, 8 e 12 dias após os tratamentos (DAT). Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Scott-Knott (P≤ 0,05). Os resultados obtidos demonstraram que todos os frutos analisados foram suscetíveis à antracnose, nos diferentes tratamentos, sendo o armazenamento refrigerado a 10ºC com embalagem individual o que apresentou melhor resultado, podendo ser recomendado como um método alternativo no controle pós-colheita de antracnose em frutos de manga.


Texto completo:

PDF

Referências


Alfenas, A. C.; Mafia, R. G. Métodos em Fitopatologia. Edição 22; Universidade Federal de Viçosa: Viçosa, MG, 2007; 382p.

Borges, I. V.; Cavalcanti, L. S.; Figueirêdo Neto, A.; Almeida, J. R. G. S.; Rolim, L. A.; Lima, M. A. G. Aplicação de revestimento com extratos de Jurema Preta no controle de antracnose em frutos de manga. Revista Iberoamericana de Tecnología Postcosecha. 2016, 17, 2, 205-216.

Camili, E. C.; Benato, E. A.; Pascholati, S. F.; Cia, P. Avaliação da quitosana, aplicada em pós-colheita, na proteção de uva ‘Itália’ contra Botrytis cinerea. Summa Phytopathologica, 2007, 33, 3, 215-221.

Ferreira, D. F. SISVAR. Universidade Federal de Lavras-MG. Versão 5.3 (Build 77), 2010.

Fischer, I. H.; Arruda, M. C.; Almeida, A. M.; Galli, J. A.; Bertani, R. M. A.; Jerônimo, E. M. Doenças pós-colheita em variedades de manga cultivadas em Pindorama, São Paulo. Revista Brasileira de Fruticultura, 2009a, 31, 2, 352-359.

Galli, J. A.; Fischer, I. H.; Palharini, M. C. A. Doenças pré e pós-colheita em variedades de manga cultivadas em sistema orgânico. Revista Brasileira de Fruticultura, 2012, 34, 3, 734-743.

IBGE, Produção Agrícola Municipal. (http://biblioteca.ibge.gov.br/índex.Php/biblioteca -catalogo?view=detalhes&id=766) 07 de junho de 2017.

Jerônimo, E. M.; Brunini, M. A.; Arruda, M. C.; Cruz, J. C. S.; Fischer, I. H.; Gava, G. J. C. Conservação pós-colheita de mangas ‘Tommy Atkins’ armazenadas sob atmosfera modificada. Ciências Agrárias, 2007, 28, 3, 417-426.

Lima, L. C.; Dias, M. S. C.; Castro, M. V.; Ribeiro Júnior, P. M.; Silva, E. B. Controle da antracnose e qualidade de mangas (Mangifera indica L.) cv. Haden, após tratamento hidrotérmico e armazenamento refrigerado em atmosfera modificada. Ciência e Agrotecnologia, 2007, 31, 2, 298-304.

Miguel, A. C. A.; Durigan, J. F.; Barbosa, J. C.; Morgado, C. M. A. Qualidade de mangas cv. Palmer após armazenamento sob baixas temperaturas. Revista Brasileira de Fruticultura, 2013, 35, 2, 398- 408.

Miguel, A. C. A.; Durigan, J. F.; Morgado, C. M. A.; Gomes, R. F. O. Injúria pelo frio na qualidade pós-colheita de mangas cv. Palmer. Revista Brasileira de Fruticultura, 2011, 255-260.

Nelson, S. C. Mango anthracnose (Colletotrichum gloeosporioides). Plant Disease. 2008, PD-48, 1-9.

Nogueira, D. R. S.; Albuquerque, L. B.; Araujo, J. A. M.; Vale, E. V. G.; Sales Júnior, R. Eficiência de Bacillus subtilis e B. pumilus no controle de Podosphaera xanthii em meloeiro. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 2011, 6, 3, 125-130.

Rodrigues, L. K.; Pereira, L. M.; Ferrari, C. C.; Sarantópoulos, C. I. G. L.; Hubinger, M. D. Vida útil de fatias de manga armazenadas em embalagem com atmosfera modificada passiva. Ciência e Tecnologia de Alimentos, 2008, 28 (Supl.), 271-278.

Sales Júnior, R.; Costa, F. M.; Marinho, R. E. M.; Nunes, G. H. S.; Amaro Filho, J.; Miranda, V. S. Utilização de azoxistrobina no controle da antracnose da mangueira. Fitopatologia Brasileira, 2004, 29, 2, 193-196.

Santos, A. E. O.; Gravina, G. A.; Berbert, P. A.; Batista, P. F.; Santos, O. O.Efeito do tratamento hidrotérmico e diferentes revestimentos na conservação pós-colheita de mangas ‘Tommy Atkins’. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 2011, 6, 1, 140-146.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/rca.v16i3.3490