A PROFUNDIDADE DA SEMEADURA AFETA A VELOCIDADE DA EMERGÊNCIA DE Hevea brasiliensis

Abimael Gomes da Silva, Edilson Costa, Flávio Ferreira da Silva Binotti, Erivaldo José Scaloppi Júnior

Resumo


Objetivou-se avaliar a influência de quatro profundidades de semeadura na emergência de plântulas de seringueira. O ensaio foi conduzido na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Unidade Universitária de Cassilândia – MS. O delineamento experimental utilizado foi em blocos ao acaso, com quatro profundidades de semeadura (0, 2, 4 e 6 cm) com seis repetições de 110 sementes. Foram utilizadas sementeiras de madeira preenchidas com vermiculita fina, sob ambiente protegido com 30% de sombreamento e sementes de seringueira clone PR-255. Foram avaliados: porcentagem de emergência, índice de velocidade de emergência, tempo médio de emergência e velocidade média de emergência. As diferentes profundidades não influenciaram a porcentagem de emergência e o índice de velocidade de emergência de plântulas de seringueira. Entretanto, o tempo médio de emergência e a velocidade média de emergência apresentaram diferença significativa entre os tratamentos: a maior profundidade (6 cm) resultou em maior quantidade de dias para emergir e menor velocidade na emergência das plântulas quando comparado com plântulas proveniente de sementes a 0 e 2 cm de profundidade. A semeadura em profundidade de 0 cm, levemente recoberta com substrato, é adequada para a emergência de plântulas de seringueira, clone PR 255 em sementeira com substrato do tipo vermiculita, além de ser um método mais prático.


Texto completo:

PDF

Referências


Alvarenga, A. P.; Carmo, C. A. F. S. Seringueira. Viçosa-MG: EPAMIG, Viçosa, 2008. 894 p.

Bonome, L. T. S.; Oliveira, L. E. M.; Graciano, M. H. P.; Mattos, J. O. S.; Mesquita, A. C. Influencia do tratamento fungicida e da temperatura sobre a qualidade fisiológica de sementes de seringueira durante o armazenamento. Agrarian, Dourados, v. 2, n. 5, p. 97-112, 2009.

Liu, S.; Lan, J.; Zhou, B.; Qin, Y.; Zhou, Y.; Xiao, X.; Yang, J.; Gou, J.; Qi, J.; Huang, Y.; Tang, C. HbNIN2, a cytosolic alkaline/neutral-invertase, is responsible for sucrose catabolism in rubber-producing laticifers of Hevea brasiliensis (para rubber tree). New Phytologist, Lancaster, v. 206, p. 709-725, 2015.

Maguire, J. D. Speed of germination and in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v.2, n.2, p.176-177, 1962.

Marcos Filho, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba, SP: FEALQ, 2015. 655 p.

Marcos Filho, J.; Kikuti, A. L. P. Condicionamento fisiológico de sementes de couve-flor e desempenho das plantas em campo. Horticultura Brasileira, v. 26, n. 2, 165-169. 2008.

Nery, M. C.; Davide, A. C.; Silva, E. A. A.; Soares, G. C. M.; Nery, F. C. Classificação fisiológica de sementes florestais quanto a tolerância à dissecação e ao armazenamento. Cerne, Lavras, v. 20, n. 3. 2014.

Pereira, J. P. Formação de mudas e instalação de seringais. IN: EPAMIG. Seringueira: novas tecnologias de produção. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 28, n. 237. P. 49-58. 2007.

Pereira, A. V.; Pereira, E. B. C. Avaliação d métodos de formação de viveiro de seringueira por semeadura direta no campo, sem sementeira e repicagem. Pesquisa agropecuária brasileira, Brasília, v. 33, n. 7. P. 1061-1065, 1998.

Prado, R. M.; Torres, J. L.; Oque, C. G.; Coan, O. Sementes de milho sob compressão do solo e profundidade de semeadura: influencia no índice de velocidade de emergência. Scientia agrária, v. 2, n. 1, p. 55-59, 2001.

Silva, B. M. S.; Môro, F. V.; Rubens, S.; Kobori, N. N. Influencia da posição e da profundidade de semeadura na emergência de plântulas de açaí (Euterpe oleracea Mart. - Arecaceae). Revista brasileira de fruticultura, Jaboticabal, v.29, n.1, p. 187-190, 2007.

Silva, J. G.; Nascente, A. S.; Silveira, P. M. Velocidade de semeadura e profundidade da semente no sulco afetando a produtividade de Grãos do arroz de terras altas. Colloquium Agrariae, v. 13, n. 1, p. 77-85, 2017.

Tillmann, M. M. A.; Piana, Z.; Cavariani, C. Minami, K. Efeito da profundidade de semeadura na emergência de plântulas de tomate (Lycopersicon esculentum Mill.). Scientia agrícola, Piracicaba, v. 51, n. 2, p. 260-263, 1994.

Theodoro, G., Batista, T. Detection of fungi in rubber tree (Hevea brasiliensis) seeds harvested in northeast of Mato Grosso do Sul, Brazil. Agrarian, Dourados-MS, v.7, n.24, p.365-368, 2014.

Vieira, R. D.; Bergamaschi, M. C. M.; Monihara, L. Qualidade fisiológica de sementes de seringueira (Hevea brasiliensis Muell. Arg.), tratadas com benlate durante o armazenamento. Scientia Agricola, Piracicaba, v. 52, n. 1, p. 151-157, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.28998/rca.v16i3.4146

Direitos autorais 2018 Revista Ciência Agrícola