PATRIMÔNIO TAPAJOWARA NO SÍTIO PORTO: HERANÇA CULTURAL E RESISTÊNCIA ÉTNICA NA REGIÃO DE SANTARÉM, RIO TAPAJÓS.

Hudson Romário Melo de Jesus

Resumo


Este artigo trata da importância de uma interpretação contextual para objetos cerâmicos provenientes do Sítio Porto (PA-ST-42) e avalia processos de restauração realizados com a cerâmica encontrada em Santarém. Para a construção desta análise, os artefatos foram pensados como intercessores da construção dos processos atuais de resistência identitária do povo Tapajó. Em uma mediação que ocorre através da memória, ancestralidade e de saberes êmicos sobre as cerâmicas arqueológicas e contemporâneas. Visto que a manufatura de objetos em cerâmica na região de Santarém apresenta-se como uma história indígena de longa duração.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, D. A. 2012. Ocupação Indígena na Foz do Rio Tapajós (3.260 – 960 AP): estudo do sítio Porto de Santarém, baixo Amazonas. Dissertação em Antropologia, Programa de Pós-Graduação em Antropologia, Universidade Federal do Pará.

BRADI, C. 1998. Teoria generale della critica. Ed. de M. Carboni. Roma, Editori Riuniti.

_______. 2004. Teoria da Restauração. Trad. de Beatriz Kühl. Cotia, São Paulo, Ateliê Editorial.

CARANDINI, A. 1979. Archeologia e Cultura Materiale. Dai ‘lavori senza gloria’ nell’antichità a una politica dei beni culturali. Bari, De Donato.

COOUDART, A.; LEMONNIER, P. 1984. Ethnoarchéologie et ethnologie des techniques. Techniques et culture, Paris, 3:12pp.

GOMES, D. M. 2008. Cotidiano e poder na Amazônia pré-colonial. EDUSP/FAPESP, São Paulo.

__________. 2010. Os contextos e os significados da arte cerâmica dos Tapajó. In: Pereira, E.; Guapindaia, V. (Orgs.), Arqueologia Amazônica. Museu Paraense Emílio Goeldi, SECULT, IPHAN, Belém, 213-234.

___________. 2012. O perspectivismo ameríndio e a ideia de uma estética americana. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, 7:133-159.

HODDER, I. 1978. Simple Correlation Between Material Culture and Society: a Review. In: Hodder, I. (Ed.) The Espatial Organization of Culture. London, Duckworth (New Approaches in Archaeology): 3-24.

JECUPÉ, K.W. A terra dos mil povos: história indígena brasileira contada por um índio. São Paulo, Editora Peirópolis.

JESUS, H. R. 2016. O controle artístico dos ceramistas tapajônicos: um estudo sobre fabricação cerâmica no Município de Santarém e região através da Geoquímica, Pará. (Relatório Técnico-Científico). UFOPA – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica, Santarém.

__________. 2018. Traços dos Tapajó: análises de cerâmicas arqueológicas do Sítio Porto de Santarém (PA-ST-42). (Monografia em Arqueologia) Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, Pará.

__________; REBELLATO, L. 2019. Avaliação arqueológica em artefatos cerâmicos encontrados em Santarém: áreas 4A e 4B do Sítio Porto. In: As Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e a Competência no Desenvolvimento Humano, volume 1. Atena Editora, Ponta Grossa, Mato Grosso do Sul. p. 190-192.

MARQUES. D. B. 2019. O direito ao Autorreconhecimento na reafirmação étnica na região do Tapajós, Santarém-PA. Revista Ciências da Sociedade (RCS), 3 (5): 169-186.

MENDES DA SILVA, C. 2018. A Vitoriosa Sobrevivência dos Indígenas da Amazônia. Curitiba, Appris Editora e Livraria Eireli - ME.

NAHOUN-GRAPPE, V. 2005. Introduction. Le jugement de qualité. In: Nahoun-Grappe, V.; Vincent, O. (Orgs.), Le gout des belles choses: etnhologie de la relation esthétique. Paris: Éditions de la Maison desSciences de l`Homme, pp.1-8.

NORRILD, J. 2005. Patrimônio: características y usos. In: Schlüter, R.; Norrild, J. (Orgs.), Turismo y patrimônio em el siglo XXI. Buenos Aires: Centro de Investigaciones y Estúdios Turísticos: 11-26.

PÉREZ-JUEZ GIL, A. 2002. La proyección social delpatrimonio arqueológico: elyacimiento como recurso turístico. (Thesis doctoral). Madrid, Universidad Autónoma de Madrid.

QUINN, E. R. 2004. Excavating "Tapajó" Ceramics at Santarém: Their Age and Archaeological Context. (Doctoral Thesis). University of Illinois, Chicago.

RIBEIRO, M. 2018. Territorialidade e práticas educativas: vozes que (re)significam a identidade cultural do território de uma Terra Indígena urbana. Tese de Doutorado. Lisboa, Instituto Universitário de Lisboa.

ROOSEVELT, A. C. 1990. The developmental sequence at Santarem on the Lower Amazon, Brazil. Report to the National Endowment for the Humanities, Washington, DC.

SCHAAN, D. P. 2014. Salvamento Arqueológico do Sítio PA-ST-42: Porto de Santarém - Anos III e IV. (Relatório Final). Universidade Federal do Pará/Companhia Docas do Pará (CDP), Belém, Pará.

__________. 2015. A Indústria Cerâmica dos Tapajó. In: Schaan, D.P.; Alves, D.T. (Orgs.), Um porto, muitas histórias: arqueologia em Santarém. Gráfica Supercores, Belém, Pará, 101-114.

SOARES, A.; OLIVEIRA, F. 2015. Turismo e direito como estratégias de preservação do patrimônio cultural arqueológico: o caso tapajônico. Revista Confluências Culturais – Memórias e paisagens: percepções patrimoniais, Joinville, 4(2):47-58.

SILVA, F. 2011. Patrimônio arqueológico em terras indígenas: algumas considerações sobre o tema no Brasil. In: Ferreira, L.; Ferreira, M. & Rotman, M. (Orgs.), Patrimônio cultural no Brasil e na Argentina: estudos de caso. São Paulo, Annablume, 193-218.

SILVA, L. 2014. Arqueologia Indígena: protagonismo ameríndio, interlocução cultural e ciência contemporânea. Cuiabá, Carlini & Caniato Editorial.

STOTTMAN, J. M. 2010. Archaeologists as activists. In: Stottman, J. M. (Ed.), Can archaeologists change the world? University of Alabama Press, Tuscaloosa.

WAIWAI, J. 2017. Levantamento Etnoarqueológico sobre a cerâmica Konduri e ocupação dos WaiWai na região da Terra Indígena Trombetas-Mapuera (Pará, Brasil). Monografia. Santarém, Universidade Federal do Oeste do Pará.

WANDERLEY, E. 2016. É Pote de Parente Antigo. Jundiaí, SP, Paco Editorial.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Ciências Humanas Caeté - Núcleo de Pesquisa e Estudos Arqueológicos e Históricos (NUPEAH/UFAL-Campus Sertão).

........................................................................................

Banco de dados, Diretórios & Indexadores

http://diadorim.ibict.br/handle/1/2279

 

https://www.sumarios.org/revista

 

https://latindex.org/latindex/ficha?folio=29352

 

.........................................................................................

 

Universidade Federal de Alagoas - Campus Sertão

AL - 145, nº 3849, Cidade Universitária

Delmiro Gouveia - Alagoas

CEP - 57480-000

E-mail: revista.caete@delmiro.ufal.br