Circuitos museais para a visitação crítica: descolonização e protagonismo indígena

Marília Xavier Cury

Resumo


O museu e a Museologia têm acertos com os indígenas no Brasil. Por mais de um século os indígenas são representados nas instituições museais sob a tutela colonialista, posição a ser alterada emergencialmente, a responder às demandas dos povos indígenas do Brasil quanto à autonomia e soberania indígenas para a construção de suas histórias, memórias e relações sociais. O museu vem se instrumentalizando com ações colaborativas para a indigenização da instituição, descolonizando-a. Isso alcança tanto o modelo clássico de museu quanto o museu indígena, mesmo que de formas distintas, mas complementares. O artigo argumenta nessa direção, pauta-se em questões para observação e reflexões, apresentando alguns museus nacionais, estaduais, universitários e indígenas, como convite à visitação crítica de exposições museais.


Palavras-chave


Descolonização do museu, Museus indígenas, Representação em museus, Autonarrativas em museus, Trabalho colaborativo.

Texto completo:

PDF



Locations of visitors to this page

Revista Iberoamericana de Turismo - RITUR Penedo, Alagoas, Brasil. ISSN: 2236-6040.


Licença Creative Commons
Os originais publicados na Revista Iberoamericana de Turismo estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons 3.0 Brasil (obrigatoriedade de atribuição de créditos/vedado uso comercial/vedada criação de obras derivadas/permitida citação referenciada).