O turismo em Cuba como alternativa para a economia sob o embargo comercial dos Estados Unidos

Leandro Souza Moura, José Maria Campos Manzo Filho

Resumo


É inegável o potencial de contribuição do turismo no que se refere à geração de empregos, à movimentação de capitais e à geração de novos negócios. Em razão disso, o investimento no turismo pode se converter em uma alternativa para lidar com condições econômicas adversas. Nesse artigo são analisados os efeitos do turismo para a economia cubana sob a perspectiva do enfrentamento das dificuldades resultantes dos embargos econômicos impostos pelos EUA. Antes de 1959, Cuba era um país que vivia sob forte influência dos Estados Unidos, era uma ilha com grandes desigualdades sociais. O embargo dos Estados Unidos a Cuba, atesta Hoffman (1998), se iniciou em outubro de 1960, quando o governo americano utilizou como justificativa prática para tal ato a expropriação de propriedades de companhias e de cidadãos americanos em Cuba, realizados pelo governo revolucionário cubano. O turismo se tornou uma das principais ferramentas econômicas de Cuba, pois atrai a maioria dos investimentos estrangeiros no país e gera muitos empregos nas mais diversas áreas, bem como movimenta o comércio e a prestação de serviços, e forneceu grande contribuição no enfrentamento das dificuldades geradas pelos bloqueios comerciais aos quais a Ilha esteve submetida.


Palavras-chave


Turismo; Cuba; Desenvolvimento Local

Texto completo:

PDF



Locations of visitors to this page

Revista Iberoamericana de Turismo - RITUR Penedo, Alagoas, Brasil. ISSN: 2236-6040.


Licença Creative Commons
Os originais publicados na Revista Iberoamericana de Turismo estão disponibilizados de acordo com uma Licença Creative Commons 3.0 Brasil (obrigatoriedade de atribuição de créditos/vedado uso comercial/vedada criação de obras derivadas/permitida citação referenciada).